Brava: Pastores de Cachaço “revoltados” com perda do gado causada pelos cães vadios

  • 21/07/2020 06:57

Um grupo de jovens criadores da localidade de Cachaço, na Brava, procurou a Inforpress “revoltado” com as “avultadas perdas” causadas pelos cães vadios que lhes têm dizimado os seus animais, a única fonte de rendimento e sustento.

O porta-voz do grupo, João da Graça Mendes, contou que estão “afrontados” com matilhas de cães vadios que andam matando as suas cabras, reforçando que nessa localidade não possuem nenhuma outra fonte de rendimento ou de sustento, a não ser a criação de animais.

Mas, de uns tempos para cá, o jovem sublinhou que os cães andam a atacar o gado e que já não sabem mais o que fazer.

“Procuramos a Câmara Municipal e não nos apresentaram solução. Já viemos à esquadra policial informar o que podemos fazer, disseram-nos que também não podem fazer nada. Como é que vamos fazer?”, questionou desesperado o criador de gado.

Segundo este jovem, na localidade não conseguem controlar estes cães vadios porque não são três ou quatro, mas sim uma matilha.

“A câmara deve tomar medidas porque sabe que Cachaço depende da criação de gado. Além da seca que fustiga a nossa criação, todos os dias deparamos com muitas cabeças de cabras e galinhas mortas pelos cães”, disse o porta-voz.

Questionado sobre esta situação, o presidente da Câmara Municipal da Brava, Francisco Tavares, diz lamentar este facto realçando que o grupo, constituído por nove jovens pastores, já “driblou” e aguentou o seu gado durante três anos de seca para ver todo o esforço ser destruído por cães.

“Realmente é muito triste e revoltante ao ver que a irresponsabilidade dos outros está a trazer prejuízos para quem quer realmente trabalhar e ter resultados”, considerou o edil, realçando que a câmara já fez durante quatro anos seguidos, sessões de castração de cães na ilha, mas nem todos os munícipes com cães os levaram para a castração.

Segundo Francisco Tavares, a situação já foi comunicada ao Governo, acrescentando que devem ser tomadas medidas com os cães, mas de momento, avançou que será feita uma campanha de sensibilização à luz do código de postura municipal, que passa a multar o dono dos cães encontrados na rua e quando houver danos para criadores, quando for identificado, este tem de responsabilizar pelos danos causados.

Devido a estas situações, o presidente da câmara apela as pessoas a não criarem cães, caso não tiverem condições para tal.

MC/CP

Inforpress/Fim