Presidente da Câmara Municipal nega licença para abertura de um bar nas imediações da Rua da Cultura, mas autoriza abertura de outro na residência oficial

  • 29/02/2020 14:34

Cidade de Nova Sintra, 29 Fev - O Presidente da Câmara Municipal da Brava está sendo acusado de favoritismo a amigos e militantes do MpD ao adoptar dois pesos e duas medidas em decisões relacionadas com pedidos de licenças comerciais.

O Presidente da Câmara Municipal da Brava está sendo acusado por alguns munícipes de favoritismos a militantes e amigos do MpD em decisões relacionadas a pedidos de licenças comerciais.

O caso mais actual se trata de um pedido de licença para abertura de um bar na Rua da Cultura negado, com o argumento de que na Brava já existem bares suficientes, ao mesmo tempo que autoriza a abertura de outro na residência oficial conforme aqui noticiado.

Segundo alguns, ao aproximar das campanhas eleitorais e com olhos postos nas eleições de Outubro, Francisco Walter Tavares quer aparelhar o rebanho MpD, para “ver se consegue se eleger, caso for escolhido para liderar a lista do MpD na Brava”.

O proprietário, cujo a licença foi negada pondera constituir um advogado, para ir às instâncias próprias, com a acusação de discriminação, favoritismo e decisões tendenciosas do edil bravense.