5 de Julho com protestos no Mindelo: Sokols promove marcha da fome no estilo do lendário Capitão Ambrósio

  • 02/07/2018 15:21

A liderança de SOKOLS 2017 anuncia que vai reeditar, no próximo 05 de Julho – Dia da Independência Nacional - a Marcha da Fome do Capitão Ambrósio em S.Vicente. Este movimento cívico que tinha realizado duas grandes manifestações de protestos em 2017 e este ano, informa que o objectivo é percorrer as principais ruas da cidade do Mindelo -desde a zona libertada da Ribeira Bote e até a Avenida Marginal - com os participantes trajados de preto, empunhando a Negra Bandeira da Fome. Tudo, como se pode depreender da nota justificativa, para alertar ao Governo de Ulisses Correia e Silva da difícil situação socioecónomica que se vive em Cabo Verde, com foco no combate ao desemprego, na insegurança e na necessidade da descentralização do poder através da Regionalização de Cabo Verde.

Aguardada com alguma expectativa, esta vai ser a terceira grande manifestação a ser realizada pelo movimento cívico Sokols 2017, liderado por Salvador Mascarenhas, para chamar a atenção para as fomes dos dias de hoje, isto num claro aviso ao Governo de Ulisses Correia e Silva suportado pelo MpD.

«Convidamos a população são-ventina a juntar-se à marcha, vestidos de negro e com cartazes alusivos às fomes dos dias de hoje: dificuldade em se conseguir pão, saúde, segurança, educação, emprego, justiça, transporte, saneamento, meritocracia, autonomia, descentralização, transparência governativa, cidadania activa, ambiente saudável... Tudo nesta passagem do 43º Aniversário da Independência de Cabo Verde», diz em nota Sokols 2017 a que o Asemanaonline teve acesso.

Trajecto e ideário

Referindo-se ao trajecto da manifestação, a organização anuncia que a concentração dos participantes está prevista, no dia 05 de Julho, pelas 10 horas no Centro Social da Ribeira Bote. O cortejo segue-se depois pela Avenida de Capitão Ambrósio, virando na Casa da Criança para Fernando Ferreira Fortes e depois Rua de Lisboa e Avenida Marginal em direcção ao estacionamento do Centro de Pequenas Encomendas da Enapor, onde algumas pessoas especialistas em várias áreas farão o seu diagnóstico da situação actual a nível de saúde, habitação, transporte, saneamento, património, justiça, etc, em curtas intervenções.

«A marcha será pacífica e não aceitaremos nenhum tipo de simbologia partidária ou a bandeira de Cabo Verde antes da Democracia, pelas suas óbvias conotações partidárias», vai avisando o movimento Sokols 2017, que estabelece como ideário «Por um Cabo Verde Harmonioso, Equilibrado e Justo».