Biosfera 1 crítica acordo de pesca entre União Europeia e Cabo Verde

  • 30/11/2019 12:19

O presidente da Associação Biosfera 1 para a conservação da natureza em Cabo Verde, Tommy Melo, assegurou que o acordo de pesca celebrado entre a União Europeia (UE) e Cabo Verde não apresenta qualquer medida mitigatória contra a pesca acidental.

Tommy Melo falava para o canal do youtube da associação, em reacção ao novo acordo de pesca celebrado entre a UE e Cabo Verde. Segundo o mesmo o acordo não tem limite de captura. O mesmo permite aos barcos de países comunitários pescarem oito mil toneladas de atum por 750 mil euros anuais.

Conforme o mesmo, o acordo de pesca não apresenta “nenhuma medida mitigatória contra a pesca acidental” e se Cabo Verde é considerado um dos 10 países de hotspot de biodiversidade marinha, entende que deveria haver medidas mitigatórias para tartarugas e aves marinhas.

“Onde é que estão as medidas mitigatórias para tartarugas e aves marinhas? Medidas mitigatórias essas que esses barcos precisam utilizar quando estão a pescar nas águas europeias, embora aqui em África não é preciso. Porquê? Será isso correcto?”, questiona.

Em caso de pesca acidental, ultrapassando o limite determinado, o acordo prevê que têm de pagar uma multa equivalente ao mesmo valor que já pagavam pelas oito mil toneladas.

Para Tommy Melo o acordo não é justo, sabendo que os cabo-verdianos pagam 600 escudos por quilo de atum, enquanto a UE paga apenas seis escudos pela mesma quantidade da espécie.Neste sentido considera que é altura de colocar um ponto final e refazer o acordo de forma “coerente, responsável e sustentável”.