Brava: Celebra-se São Pedro e São Paulo juntos porque foram dois Grandes – sacerdote

  • 30/06/2019 10:29

O padre Matias Silva salientou hoje, durante a eucaristia de São Pedro e São Paulo, que estes dois são celebrados juntos, porque estes foram dois “Grandes” e graças a eles, a igreja é o que ela é nos dias de hoje.

O sacerdote teve o cuidado e a preocupação de refrescar aos cristãos presentes um pouco da história destes dois Santos, relembrando que São Pedro, era natural de Galileia, um pescador e segundo o Evangelho, um dia estava na pesca com outros irmãos e lá, Jesus Cristo que estava na sua missão apareceu para eles.

Depois de uma pesca sem muito sucesso, Jesus convidou Pedro a lançar de novo as redes no mar, mas só que pediu-lhe para lançar em uma outra direcção e no mar alto. No início, conforme contou o sacerdote, Pedro hesitou um pouco, porque quem tinha experiência no mar era ele e não Jesus, mas depois resolveu lançar a rede e apanharam uma grande quantidade de peixe e a partir do momento, Pedro sentiu medo e pediu Jesus para afastar dele, dizendo que ele era um homem pecador.

“Foi aí que Jesus disse que a partir daquele dia passou a ser pescador de homens, convidando-o assim para ser o seu seguidor e utilizando a palavra de Deus, começou a trazer pessoas para Jesus Cristo”, contou o religioso.

Em relação a São Paulo, o sacerdote realçou que era um homem de grande cultura romana, e que encontrou com Jesus Cristo de uma outra forma, pois, ele não teve a oportunidade de seguir Jesus durante a sua vida, mas a sua fé veio de outros cristãos.

“Era um grande judeu que viu a nova religião cristã como uma ameaça a sua religião e tradição judaica e por isso começou a perseguir os cristãos. Depois, por uma iluminação de Jesus Cristo ressuscitado, acabou por descobrir que afinal Jesus era a verdade e a partir do momento passou a ser cristão e não teve a dificuldade em dizer que ele trabalhou mais do que todos os outros. Não ele, mas sim a graça de Deus que actuou nele”, disse o sacerdote, acrescentando que se não fosse São Paulo, as pessoas não seriam os cristãos que são hoje, porque, foi graças a ele que a igreja se abriu ao mundo pagão.

Tendo debruçado sobre as histórias destes dois santos, salientou que para os cristãos, o exemplo maior que podem tirar de São Paulo e São Pedro é a fé.

Porque, se celebramos este dia na igreja e ainda com a eucaristia, é sobretudo porque foram dois homens de grande fé.

De acordo com a mesma fonte, eles descobriram em Jesus Cristo os seus caminhos, a verdade e a vida e dedicaram as suas vidas a Jesus e para os que são crentes, ensinam-lhes a viverem a fé sem complexo como eles.

Pois considerou que “muitas vezes, os cristãos vivem distraídos e quase que têm um certo complexo em assumir a fé com seriedade, responsabilidade e vivê-la com paixão, por isso, de vez em quando é bom parar e fazer o exame de consciência e perguntar como estão vivendo a fé”.

Sobretudo, reforçou que quando está-se a caminhar para o fim da vida, deve-se fazer o balanço, durante a vida terrena, como está vivendo a fé em Jesus Cristo.

“A fé não nos livra das dificuldades da vida, porque mesmo Jesus Cristo teve dificuldades, mas, a fé é a iluminação que leva-nos a encarar a vida de forma diferente, mesmo diante das dificuldades, para acreditarmos que aconteça o que acontecer, Deus está connosco, pois, na vida terrena, estamos aqui de passagem, não é o fim último, mas deve ser vivida com responsabilidade e seriedade”, finalizou o religioso.

MC/ZS

Inforpress/Fim