Brava: Fundadora da Marly´s Miracle Fundation termina missão com sentimento de “dever cumprido”

  • 26/11/2019 05:36

 A responsável da fundação Americana Marly´s Miracle, que esteve em Cabo Verde inteirando da situação de remessas enviadas às ilhas e fazer entregas em São Vicente e na Brava, termina a missão com sentimento de “dever cumprido”.

Maria Pereira contou à Inforpress que fez a entrega de quase mil brinquedos a crianças bravenses, acção que denominou de “Natal adiantado”, além de distribuir carrinhos para pessoas com deficiências locomotoras e entregar materiais para crianças na delegacia de saúde na ilha.

Além da Brava, teve a oportunidade de chegar até São Vicente, onde foi distribuir cerca de 200 mochilas na escola de Salamansa, com materiais escolares, produtos higiénicos e chinelos, localidade que foi descrita pela doadora como sendo de pessoas humildes.

Outra ilha que beneficiou das doações da fundação foi Santo Antão, mas a mesma não teve a oportunidade de fazer a entrega pessoalmente, deixando esta incumbência a igreja de Nazareno em Ribeira Grande.

Segundo Maria Pereira, o sentimento que hoje ao partir da ilha Brava leva consigo, é de “gratidão e de dever cumprido”.

Pois, conforme explicou, em nove meses a fundação já conseguiu alcançar todas as ilhas do país, apoiando-as na medida do possível, com materiais escolares, brinquedos, equipamentos hospitalares, entre outros materiais e equipamentos doados a pessoas individuais.

Na Brava, a responsável da fundação Americana Marly´s Miracle chegou às localidades mais recônditas, como Raíz, Fundo, Belém, Santa Bárbara, Pau, Braga e Palhal, onde os residentes disseram à Inforpress que é quase que “um milagre” alguém lembrar das mesmas, principalmente das criancinhas.

Para os pais destas crianças, tanto nas localidades distantes como os da Vila de Nova Sintra, as opiniões foram unânimes.

“É um bom gesto, porque a nossa comunidade é pobre e muitas vezes não temos a possibilidade de comprar um brinquedo para oferecer os nossos filhos, principalmente nesta época natalícia em que todas as crianças querem ter um brinquedo novo”, disse Maria Antónia de Pina, mãe de uma criança beneficiada.

A mesma acrescentou ainda que na sua localidade, tendo em conta a “dificuldade” em encontrar um dia de trabalho, qualquer moeda que aparecer, primeiramente preocupam-se em comprar bens de primeira necessidade como comida.

Os pais agradecem a fundação, pelo sorriso que colocaram na cara das criancinhas.

Questionada sobre os próximos passos e a próxima missão da fundação, Maria Pereira adiantou que vai para os Estados Unidos em previsão de quando pode voltar para Cabo Verde, mesmo tendo projectos para a ilha do Fogo, onde pretende iniciar as actividades no próximo ano, mas é necessário organizar-se, pois, é uma fundação sem lucros e é necessário arrecadar fundos e algumas doações.

Maria Pereira aproveitou para agradecer a sua equipa de terreno em Cabo Verde e as pessoas, instituições, associações e todos que a apoiaram nos Estados Unidos, pois sem estes, “não seria possível” abranger todas estas ilhas.

MC/CP

Inforpress/Fim