Brava - Ilha das flores e Morabeza

  • 07/01/2017 00:00

Desde o seu povoamento que a ilha da Brava tem uma história extraordinárial. Foi a ilha escolhida pelos baleeiros americanos em busca de abastecimento para as suas embarcações e de abrigo contra o mau tempo. Os marinheiros Bravenses famosos pela sua experiência aproveitaram para trabalhar e emigrar formando assim a primeira colónia de emigração cabo-verdiana no Massachussets. Hoje é uma grande comunidade caboverdeana radicada nos Estados Unidos que muito faz para ajudar os que ficaram na ilha. Esse encontro de culturas é ainda hoje bem visível na ilha tanto nos costumes dos seus habitantes como na própria arquitectura das suas casas.

O acesso à ilha é feita somente por mar devido a ventos fortes que dificultam a travessia por via aérea. Vindo a partir da ilha vizinha do Fogo até ao Porto da Furna, o principal porto de entrada da ilha que é uma formosa Baía onde se desenvolvem actividades artesanal de pesca e onde se podem encontrar os melhores peixes como: Bica de Rocha, Moreia Dourada, Garoupa Pintada, Esmoregal, Corvina...

A ilha da Brava tem apenas um concelho, Brava, e a sua sede é Vila Nova Sintra, escolhida assim o nome por ser muito parecida com Sintra, em Portugal. Na vila existe uma linda praça, com um belo e cuidado jardim, com muitas flores e árvores. É a Praça Eugénio Tavares. (Eugénio de Paula Tavares), nasceu na ilha e foi um jornalista, escritor e poeta cabo-verdiano. Dedicou-se à tradicional morna que escreveu tanto em português como crioulo.

A partir de Nova Sintra podemos subir ao pico mais elevado da ilha atingindo uma altura de 976 metros " Pico das Fontainhas, depois descer para Campo Baixo por vales profundos passando por muitas escarpas na costa recheada de baías até ao Porto de Tantum. A noroeste da ilha descemos da Ribeira D´água até à Fajã onde existe uma magnífica e acolhedora piscina natural. Os amantes das caminhadas podem ainda desfrutar de uma bela paisagem verde contrastando com o azul do mar.

A festa da Ilha é no dia de São João (24 de Junho), que coincide também com o dia do Município. Esta que é uma das maiores manifestações culturais de Cabo Verde mas na ilha da Brava a festa é original. As coladeiras cantam ao desafio louvando as outras, os tambores repicam e a imagem de São João Baptista é levada pelo cavaleiro enquanto que o cavalo dança ao som do tambor. Esta é realmente a festa dos emigrantes onde é oferecido a todos um leque bem vasto de actividades culturais e desportivas. A especialidade gastronómica local é o "Molho de Capado". (carne de carneiro castrado), um guisado com suculentos nacos de carne de cabrito com batata doce, batata inglesa, fruta pão, banana verde.