Brava: Instituições “preparadas” para dar continuidade ao processo de sensibilização da nova lei do álcool

  • 04/09/2019 05:18

As instituições bravenses e funcionários da câmara municipal e da Delegacia de Saúde foram hoje sensibilizados com a nova lei do álcool e com isso, vão organizar-se para sensibilizarem a população da ilha.

Raquel Estrela, psicóloga, membro da Comissão de Coordenação do Álcool e outras Drogas, explicou à Inforpress que o objectivo desse ateliê de socialização é de “divulgar esta nova lei do álcool a todas as instituições, ONG, câmaras municipais e delegacias de saúde, para depois estas sensibilizarem as famílias e população em geral desta novidade”.

Esta lei, que foi aprovada a 03 de Abril de 2019 e entra em vigor no dia 03 de Outubro de 2019, estabelece o regime de disponibilização, venda e consumo de bebidas alcoólicas em locais públicos, locais abertos ao público e locais de trabalho dos serviços e organismos da administração pública central e local e das entidades privadas.

Daí, a Comissão de Coordenação do Álcool e outras drogas e a Rede de Parlamentares População e Desenvolvimento faz a sensibilização nas câmaras e juntamente com outras instituições, que depois vão se organizar e dar continuidade a este processo, sensibilizando todas as comunidades e zonas, todas as famílias, para que a nova lei possa ser colocada na prática e que cada um ao conhecer os tramites da mesma possa contribuir com a sua implementação e fiscalização.

A nível de saúde, Raquel Estrela salientou que incidiram principalmente sobre a questão da realização dos testes, o programa que as empresas devem ter para apoiar os trabalhadores dependentes do álcool, onde, realçou os profissionais de saúde têm de estar preparados, formados e sensibilizados para darem apoio tanto na prevenção como também no tratamento dos trabalhadores que possuem problemas ligados ao álcool.

Perante a participação dos presentes, a apresentadora fez uma “avaliação muito boa”, acrescentando que as pessoas demonstraram “muito interesse e bastante engajadas”, colocando dúvidas, apresentando sugestões, considerações e preocupações com relação ao uso do álcool em Cabo Verde.

Por seu turno, Ivone Cardoso, vereadora da Saúde e Assuntos Sociais e coordenadora do núcleo concelhio da CCAD na Brava, enalteceu a importância desta acção de sensibilização, adiantando que a câmara mesmo antes desta lei, mais propriamente em 2018, não tem estado a emitir licenças para a abertura de novos bares na ilha, limitando-se somente a renovação dos que já existiam, para assim “diminuir” o número de locais de venda de bebidas alcoólicas.

Daí em diante, salientou que juntamente com as instituições presentes vão dar continuidade ao processo de sensibilização nas comunidades, permitindo assim, que todos tenham conhecimento da lei.

MC/CP

Inforpress/fim