Brava: Obras para instalação do primeiro módulo de dessalinização de água iniciam-se “brevemente”

  • 08/04/2019 11:40

O presidente da Câmara Municipal da Brava, Francisco Tavares, anunciou hoje que as obras para instalação do primeiro módulo de dessalinização na ilha Brava iniciam-se o “mais breve possível”.

O edil reuniu-se o presidente do conselho de administração da Agência de Água e Saneamento (Anas), Miguel Moura, com quem discutiu um conjunto de questões e decisões, com vista a resolver a problemática do abastecimento da água na ilha.

Nesse encontro, conforme informou o autarca, foi debatida a necessidade de se cumprir a lei e fazer a passagem da gestão e responsabilidade da água que abastece Lomba Tantum e Palhal para o poder municipal que, por sua vez, delegará toda a gestão à empresa Águabrava, visto que, até agora, a mesma é gerida pela Delegação do Ministério da Agricultura e Ambiente na ilha.

Um outro facto que mereceu “alguma atenção” foi o processo de instalação da unidade dessalinizadora na localidade de Furna, para abastecer e resolver os problemas de água na localidade, assim como decisões relacionadas com a unidade de dessalinização maior, que irá resolver a problemática da quantidade da água na ilha, que será instalada em Esparadinha, na localidade de Fajã d’Água.

Em relação às obras para instalação da dessalinizadora na localidade de Furna, Francisco Tavares adiantou que estas devem iniciar-se “brevemente”, acrescentando que as mesmas “já estão atrasadas”.

As obras devem ser realizadas pela Águabrava, visto que os equipamentos foram oferecidos ao Estado de Cabo Verde pelo Governo da França, e estes já se encontram na cidade da Praia, tendo a empresa cabo-verdiana representante da empresa francesa preparada todo o processo, aguardando somente as intervenções no espaço para fazer a montagem dos equipamentos.

Francisco Tavares acompanhou o responsável da Anas numa visita à localidade de Vinagre, onde a câmara municipal e um privado possuem um “enorme interesse” em recuperar a água nessa localidade, e, num projecto a médio prazo, a autarquia pretende transformar Vinagre num ponto de atracção turística.

O dessalinizador na Furna terá a capacidade para produzir 60 metros cúbicos de água, sendo 20 com recurso a energia solar e 40 com energia convencional e que se destina apenas a esta comunidade.

O de Esparadinha, por seu lado, será constituído por dois módulos de 250 metros cúbicos/dia cada, para abastecer o resto da ilha

MC/AA

Inforpress/Fim