Brava: Professores do primeiro ciclo iniciam acção de capacitação em Língua Portuguesa

  • 16/09/2019 16:01

Os professores de Língua Portuguesa do 1º ciclo iniciaram hoje uma formação de capacitação na área, com vista a preparar para trabalhar com alunos no ano lectivo 2019/20, acção que se prolonga até quinta-feira, 19.

O formador Manuel Reis explicou que o objectivo é trazer os conhecimentos das novas ferramentas, no âmbito da Reforma que o Ministério da Educação tem estado a implementar desde o ano lectivo transacto, e que englobam os novos programas e os novos manuais, “principalmente” em matéria de Língua Portuguesa, “e não só”, já que tem havido acções de capacitação em diversas áreas.

Segundo o mesmo, uma das “grandes vantagens” da formação é que os professores começam a ter conhecimentos “mais aprofundados” das novas ferramentas de trabalho, programas e manuais.

Acrescentou que a análise e a abordagem permite aos formandos usar as novas ferramentas como um material diário nos seus trabalhos.

O delegado da educação Orlando Burgo considerou, por seu lado, estas acções de “muito importantes”, salientando que estão a decorrer a nível nacional.

Reforçou que a Direcção Nacional da Educação organizou e calendarizou as várias actividades formativas em vários pontos do país para “melhorar cada vez mais” o sistema de ensino e a aprendizagem.

Na Brava, em particular, avançou que já tinha sido realizado uma acção de capacitação para os professores do 1º e 2º ano do Ensino Básico Integrado Obrigatório, na área de Ciências Integrada.

Realçou ainda, que contam realizar mais uma acção de capacitação no próximo mês de Outubro para professores do primeiro ciclo, em Matemática.

Em outras disciplinas, como Inglês, Francês e Físico-Química, explicou que os professores participaram nas formações no Fogo e na Praia, tendo em conta o número de docentes nestas áreas existentes na ilha, “não justifica” a deslocação de formadores para a Brava.

No caso do primeiro ciclo evidenciou que é um número “considerável” de professores, o que justifica a realização destas acções aqui na ilha.

Inforpress