Brava: Projecto de dessalinização, que pode provocar a queda de preco de água, bloqueado pelo Governo

  • 22/07/2018 13:45

 

Cidade de Nova Sintra, 20 Jul (Bravanews) - O projecto Brava 100% renovável que tem como objectivo transformar a ilha Brava em “100% Renovável”, o que significa que toda a produção de eletricidade da ilha poderá passar num futuro próximo a ser feita através de tecnologia de energias renováveis, eólica e solar, tendo como tecnologia de armazenamento, o hidrogénio, continua em banho maria.

O projecto que foi anunciado com pompa e circunstância, e que tinha prazo de começar e terminar, “mofa” nas gavetas de algum Ministério ou direcção geral a espera da boa vontade de alguém, que não consegue ver a importância deste para uma ilha, já de si, isolada, esquecida e marginalizada.

Não se sabe os motivos, e com que intenção, o projecto está claramente sendo bloqueado, segundo nos avançou Julio Rodrigues, empresário responsável, radicado em Brockton, EUA.

O referido projecto que tem também outros componentes importantes como a formação e capacitação de técnicos nacionais no CERMI (Centro de Energias Renováveis e Manutenção Industrial) e apresentação do protótipo experimental de sistemas de contentores para formação, investigação e sua utilização em zonas remotas para produção de eletricidade, não anda, e ninguém conhece os motivos concretos.

Para Julio Rodrigues, este projecto tem na sua essência, a producao e distribuicao de energia limpa, mas acima de tudo, a queda abrupta de preço da água e da energia, o que virá favorecer aos habitantes da ilha.

É encarado como oportunidade de negócio para o país, sobretudo pela possibilidade de exportação desta tecnologia para o nosso continente, no quadro do programa Power África promovido pelos USA, onde Cabo Verde poderá atrair investimento americano e estabelecer-se como plataforma de produção e exportação de produtos e serviços ligados às energias renováveis.

“Por isso não entendemos a razão de não aprovação até esta altura deste importante projecto” finaliza Rodrigues, visivelmente desgostado.