Brava: Responsável do projecto Health CV sensibilizada com a “carência” de especialistas e materiais na ilha

  • 19/11/2019 06:19

A directora executiva do projecto Health CV, Ernestina Moreira, afirmou hoje que vai sair da ilha “sensibilizada” com as necessidades que deparou tanto na falta de especialistas, como de materiais.

Esta responsável fez estas declarações à Inforpress, em modo de balanço da missão que o grupo realizou à ilha Brava de 13 a 15 de Novembro, com uma comitiva de 19 técnicos em saúde, entre médicos, enfermeiros e intérpretes.

Segundo a mesma fonte, atenderam cerca de 200 pacientes, sublinhando que as maiores preocupações que levam são a nível de matérias de análises e exames.

“Fizemos diagnósticos somente com histórico clínico, porque não tínhamos as mínimas condições para a realização de exames”, disse a responsável, garantindo que vão criar as “mínimas condições” para que na próxima volta possam ter outras condições de diagnóstico.

Ernestina Moreira adiantou ainda que a ilha carece, além de materiais, de profissionais de todas as especialidades, desde clínico geral, cardiologia, passando por fisioterapeuta, estomatologista, pediatra, ortopedista, entre outros.

A responsável lamentou a falta de equipamentos, o que dificultou a equipa de avançar e de analisar, segundo disse, com mais profundidade, várias situações encontradas.

Acrescentou, entretanto, que vão com uma noção do que é necessário, e na próxima volta vão trazer os equipamentos mínimos necessários.

Entretanto, avançou que há um contentor por chegar à ilha, com vários materiais hospitalares, que não foram possível chegar antes da equipa médica.

Segundo a mesma, quando estiveram na ilha, no ano passado, viram tantas necessidades que não poderiam ir aos Estados Unidos da América, ignorando este facto e não regressar.

Já com conhecimento da situação, normalmente fazem uma visita por ano, mas salientou que, por sugestão de alguns clínicos que vieram nesta missão, no próximo mês de Maio, data que pensar visitar a ilha de Santiago, a organização vai enviar um grupo para a ilha Brava.

A Organização não Governamental (ONG) “Project Health for Cape Verde” esteve na ilha Brava no final de Novembro de 2018, para se inteirar da realidade da ilha e estabelecer contactos ligados à área da saúde, a convite da Fundação José Andrade e de alguns descendentes da ilha, para a realização este ano das consultas.

Do grupo, constaram médicos urologistas, clínicos gerais, cirurgiões e outros especialistas em doenças contagiosas, ginecologistas, fisioterapeutas, entre outros.

MC/JMV
Inforpress/fim