Brava: ‘Yali Fellows’ de 2015 incentiva jovens bravenses a se arriscarem e aproveitarem as oportunidades

  • 02/10/2019 15:15

Adalberto Varela, ‘Yali Fellows’ de 2015 e apresentador do programa Yali Mandela Washington Fellowship 2020 pediu hoje aos jovens bravenses que se arrisquem e que sejam persistentes.

Este ‘Yali Fellows’ de 2015 fez este pedido em declarações à Inforpress, após apresentar aos jovens o programa Yali Mandela Washington Fellowship 2020, explicando-lhes que este é um programa do Estado americano que quer ‘empoderar’ jovens africanos que possuem ideias e que querem ter impacto com estas ideias nas suas comunidades.

Ou seja, conforme adiantou, o programa pretende transformar as suas ideias em acções que mudam vidas, acrescentando que seria com gosto ver um jovem da Brava entre os outros candidatos, cujo país tem seis bolsas das 700 oferecidas para 2020

Na ilha muitos jovens reclamam que não há oportunidades, então, Adalberto Varela desafia-os a saírem das suas zonas de conforto e a se arriscarem nas oportunidades que surgem.

“Já viemos aqui na Brava falar com os mesmos para aproveitarem o conjunto de oportunidades que possuem, com o intuito de que vão participar, para mudarem as suas vidas”, disse a mesma fonte.

Pois, o mesmo adiantou que quando alguém consegue uma oportunidade do tipo que permite-lhe ‘empoderar’ a sua cabeça e a sua comunidade, permite que também mudança na vida das pessoas.

E, acrescentou que o país só vai adiante a partir do momento que os jovens cabo-verdianos começarem a implementar os seus sonhos.

Daí, pede-lhes que quando for fechada uma porta, que batem noutra e noutra, assim sucessivamente, sendo persistentes, sem desistir no primeiro não e assim, vão “conseguir alcançar os objectivos e realizar sonhos, derrubando barreiras”.

Segundo Adalberto Varela, este programa tem sido uma “oportunidade” oferecida aos jovens cabo-verdianos, desde 2014 e todos os anos tem contribuído para demonstrar o trabalho dos jovens que têm destacado quer na liderança cívica, na gestão pública ou na área de empreendedorismo e negócio.

“Estes jovens têm contribuído para a mudança nestas áreas o que engrandece o programa e que tem a embaixada dos Estados Unidos da América em Cabo Verde satisfeito com o desempenho dos Yali´s”, enfatizou.

Os jovens que se fizeram presente mostraram algum interesse em apresentar candidatura para o Yali 2020, pese embora, demonstraram um certo receio quando se trata do inglês.

Os 700 bolsistas do Mandela Washington para Jovens Líderes Africanos 2020 vão viajar para os campus de universidades ou faculdades dos EUA par a institutos de liderança de seis semanas em uma das três áreas, nomeadamente negócios, participação cívica ou administração pública para desenvolver contactos directos com importantes instituições deste país.

Estes jovens com idade entre 25 e 35 anos vão ainda participar de uma cimeira em Washington com o governo americano e parceiros privados e públicos e ONG e ainda terão a oportunidade de dois meses nos EUA para uma experiência profissional no local de trabalho.

MC/CP

Inforpress/fim