Carnaval/Brava: Grupo Baianas apostado na representação jovem, sem perder a essência – presidente

  • 01/03/2019 15:51

A presidente do grupo de carnaval Baianas, da Brava, disse hoje que as baianas sentem-se preparadas, apostando na representação jovem, mas, sem perder a essência com que surgiu o grupo, que tem 22 anos de existência.

Fernanda Burgo adiantou, em entrevista à Inforpress, que o número de foliões do Baianas aumentou este ano, contando com a participação de 90 elementos, divididos em quatro alas e a maioria são jovens.

Daí, com mais participação jovem, a responsável disse acreditar que o carnaval do grupo terá “mais brilho, mais euforia e mais vivacidade”, mas que não estão colocando de lado, a essência pela qual o grupo surgiu, ou seja, como salientou, foi um grupo criado por pessoas adultas, e sem ser o prémio, levam em consideração a vivência da festa do Entrudo em si.

A esta altura, Fernanda Burgo garantiu que o processo de confecção dos trajes e dos andores já está quase finalizado, ficando somente os retoques finais e os elementos do grupo já estão “todos preparados” para vibrarem.

Além das dificuldades com a aquisição dos materiais, o problema financeiro foi o que mais afectou o grupo, tendo os membros “desdobrado” para colmatar este entrave, fazendo as roupas com as próprias mãos, apoiando alguns dos participantes no montante que deveria ser pago, entre outras estratégias para ver o grupo nas ruas de Nova Sintra no dia 5 de Março.

Para dar conta do recado dos figurinos, a dirigente salientou que foram cinco costureiras, todas membros do grupo, que trabalham e só pegam na costura das roupas após às 20:00, ficando a frente das máquinas até altas horas da noite.

“É um trabalho feito com prazer e muito amor, porque o mais importante para as costureiras e todos os que estão envolvidos neste grupo é ver as Baianas na rua e divertir o público bravense”, confessou Fernanda Burgo.

No quesito dos ensaios, a fonte garantiu também que já estão num bom caminho, tendo sido já introduzidos outros instrumentos musicais, pois, até o momento estavam ensaiando somente ao som do tambor.

Daí, as expectativas são várias, tendo em conta o tema escolhido pelo grupo, mas que mantém em segredo ainda, sendo que a única coisa que a presidente avançou é que o tema é actual e que tem muita ligação com a ilha.

No final de todos os esforços, Fernanda Burgo, disse que todo este trabalho tem um único objectivo, que não é de arrecadar prémios, mas sim “agradar o público”.

MC/CP

Inforpress/fim