Da Furna, Brava, Cabo Verde para capitão de uma equipa no Colegio Sao Jose (Versão Portuguesa)

  • 01/11/2017 06:10

Nota  da Bravanews: Porque esta notícia foi publicada num jornal americano e colocado na Bravanews em versão inglesa, viemos aqui reproduzir o mesmo, mas na língua portuguesa.

Keven Andrade, natural da ilha Brava, localidade de Furna, chega aos Estados Unidos corria o ano de 2009, para residir, chegando com o mesmo sonho de tantos outros emigrantes.

Chegar ao Colégio de São José para o ensino superior não foi tarefa facil para Keven Andrade. Foram necessários dois anos de papelada e planejamento, um vôo de cerca de 3.500 milhas em todo o Oceano Atlântico, e uma "escala" de cinco anos em Pawtucket, R.I.

Andrade, estudante da administração de empresas, é da ilha Brava, Cabo Verde.


Fez sua infância na ilha Brava e educada por sua mãe, que é professora. Vivendo em um país insular enraizado nele um amor pela água e natação, mas nada poderia superar a obsessão pelo futebol.

"Acordava de manhã e ia jogar bola das 7h às 10h30, depois praticava natação e ia para escola. Mas o futebol sempre esteve  no meu dia a dia", disse Andrade.

Ele disse que não havia salas de aula suficientes para que todas as faixas etárias frequentassem a escola ao mesmo tempo, de modo que o primeiro ao quarto ano as aulas eram durante as manhãs e quinto e sexto ano a tarde.


Quando Andrade completou 10 anos, seus pais falaram sobre os benefícios de vir viver para os EUA : uma educação melhor, mais oportunidades de trabalho e oportunidades gerais na vida. Seu pai, então, um cidadão dos EUA, começou a documentação que permitiria que Andrade viesse viver com ele em Rhode Island.

Os primeiros três meses de Andrade em Pawtucket foram, segundo ele, "estranhos" e não fáceis, embora a cidade abriga uma grande comunidade de cabo-verdianos. Ele pedia a seu pai quase todos os dias que lhe mandasse de volta para Cabo Verde.

"Foi difícil. Eu não conhecia o idioma, então eu me sentia sozinho. Por sorte, minha escola secundária tinha muitos cabo-verdianos, mas eu nem os conhecia”, disse Andrade.


Ele disse que começou a se sentir mais integrado após o difícil período de três meses, e nesse momento ele estava começando a formar frases em inglês. Assistir Bob Esponja e outras caricaturas ajudaram a sua capacidade de aprender o idioma rapidamente.

"Eu juntei-me a um clube de futebol, também, então eu aprendi mais inglês com meus colegas de equipe. Mas também me fez sentir melhor, jogando futebol, porque quando estou jogando não estou pensando em mais nada. Estou apenas me concentrando no jogo, então libertaria minha mente um pouco ", disse Andrade.

Após seis meses nos EUA, Andrade sentiu que estava dando bem com o  inglês. Andrade entrou na Shea High School de Pawtucket em 2010, e foi nesse ano no campo de futebol que conheceu os atuais colegas da equipe Fighting Saints Sergio Lopes, Willian Lima, Rosyvelt Baessa e Delcio Rocha.

"Mentalmente aprendemos muito juntos e ensinamos um monte de coisas", disse Lopes.

"Nossa escola foi uma das melhores equipes da Nova Inglaterra. E fomos muito respeitados, as pessoas sabiam quem éramos", disse Keven Andrade.

 

"Desde que chegamos aqui, melhoramos todos os anos. Nosso registro mostra isso também. Penso que somos mais experientes, mais maduros, tomamos as coisas mais a sério agora. Temos boa relação uns com os outros".

Após a sua formatura em Maio, Andrade espera trabalhar em marketing, finanças ou contabilidade. Ele também planeja fazer uma viagem de volta a Cabo Verde para se reunir com seus velhos amigos, voltar às suas raízes e revisitar um país que lhe ensinou lições.

"Eu experimentei como é crescer em um país pobre. E essa experiência me ajudou aqui porque sei como é meu país, então eu sei o que quero ser, pois la para conseguir alguma coisa teremos que sacrificar muito.

Aqui tenho grandes oportunidades e tenho uma chance melhor, tenho uma vida melhor aqui ", disse Andrade.