Faleceu a mulher mais idosa da ilha do Fogo aos 112 anos

  • 07/05/2018 15:08

Fogo acaba de perder mais uma centenária. Trata-se de Maria Veiga Amado, tida como a mulher mais velha da ilha, que faleceu, este domingo, aos 112 anos de idade, na cidade de São Filipe, onde residia há vários anos. Mas existem várias outras centenárias que vivem normalmente - em Patim há duas: Mariote e Alulia, ambas que mais de 102 anos de idade.

A falecida deste domingo é conhecida popularmente por “Nhanhá de n’Notoni”. Maria Veiga Amado nasceu a 09 de outubro de 1905, em Piquinho, zona centro do Fogo, a menos de 10 quilómetros da cidade de São Filipe (Bila Riba), onde faleceu, a cinco meses de completar os 113 anos.

Segundo a Inforpress, Nhanhá terá deixado seis filhos, 23 netos, 63 bisnetos e 33 trinetos, sendo que a filha mais velha conta com 84 anos e a mais nova 67 anos.

No espaço de duas semanas a cidade de São Filipe perdeu três figuras: primeiro foi o enfermeiro e dirigente desportivo Rolando Lima Barber, “Senhor Zuca”, depois a professora Nerina Barbosa Correia, cujo nome emprestou ao Centro de Dia do Instituto Cabo-verdiano da Criança e do Adolescente (ICCA), e agora “Nhanhá”, refere a fonte referida.