Ilha Brava: Autarquia local compromete-se a continuar a apoiar sistema educativo

  • 21/09/2018 17:59

O presidente da Câmara Municipal da ilha Brava, Francisco Tavares, comprometeu-se a apoiar o sistema educativo da ilha desde o pré-escolar ao ensino superior, em declarações à Inforpress.

O edil garantiu que neste ano lectivo, além de continuar a financiar o pré-escolar, 14 cozinheiras dos jardins infantis da ilha vão integra a lista dos funcionários públicos, com direitos aos serviços do Serviço Nacional de Saúde.

Conforme explicou Francisco Tavares, este “passo” tem como objectivo “continuar a melhorar” as condições físicas, materiais e humanas de funcionamento deste subsistema, permitindo também aos funcionários da área beneficiarem de uma reforma no final da carreira.

Além do pré-escolar, o edil adiantou que a autarquia “manterá” a parceria com a Fundação Cabo-verdiana de Acção Social Escolar (Ficase), “garantindo o transporte” dos alunos do secundário das localidades distantes de Nova Sintra, realçando que até Janeiro de 2019, a câmara municipal “espera adquirir”, um autocarro novo para este mesmo fim, orçado em cinco mil contos

Os universitários também serão beneficiados, como anunciou, em parceria com a Fundação Brava Solidária e algumas instituições de ensino superior do país, novos estudantes bravenses “beneficiarão” de financiamentos que vai permitir-lhes ingressar no ensino superior e técnico num investimento “superior a 350 contos dos cofres municipais e outros 550 em reduções e patrocínios às propinas fruto dos protocolos existentes com algumas instituições”.

Ainda a nível de capacitação e promoção do ensino na ilha, a autarquia, em parceria com o IEFP e outros parceiros, pretende ministrar um conjunto de formações a nível técnico.

O dirigente manifestou ainda a “total disponibilidade” da autarquia em “continuar a colaborar” com a delegação e “mobilizar” recursos e outras parcerias necessárias para a “melhoria do funcionamento do sistema educativo na Brava”.

Conforme explicou, considerando a educação um “pilar fundamental” para o adequado desenvolvimento de qualquer sociedade, é “obrigação” de todos o “necessário empenho com convicção”, na melhoria do sistema educativo, visando sempre “a excelência como meta principal”

No quesito da emigração, o autarca reforçou que além de “aceitar o destino e a presença em todos os continentes”, torna-se “essencial” a preparação dos jovens para enfrentar o mercado de trabalho nos países de acolhimento, que disse acreditar ser “o caminho certo” que tem de se trilhar.

A mesma fonte revelou que no ano lectivo anterior, o sector da educação da ilha “absorveu” 32% do Fundo de Financiamento Municipal, ou seja, cerca de 1.300 contos mensais.