Ilha Brava: Rede Local de Trabalho para Promoção do Emprego e Empregabilidade procura novos membros para a equipa

  • 24/11/2018 00:53

A Rede Local de Trabalho para Promoção de Empregabilidade procura novos membros para integrar a equipa, tendo em vista a materialização dos projectos já desenhados para o desenvolvimento da ilha.

Segundo o gestor e ponto focal da Rede na ilha Brava, Mário Soares, o objectivo da mesma é ter instituições a trabalharem em simultâneo, bem como a sociedade civil e associações comunitárias, envolvendo de tal forma todos os sectores que pretendem ver algum desenvolvimento na ilha.

A Rede tem membros provenientes de várias instituições públicas e privadas, de algumas associações, mas, de acordo com o gestor, a equipa vai redefinir o plano que já tinha sido traçado, e tendo em conta que a Rede é aberta, pretende reforçar-se com mais membros.

Esta Rede enquadra-se no programa CVE/081, da cooperação entre Cabo Verde e Luxemburgo, presente em quatro ilhas do país e neste momento encontra-se na Brava um consultor, ministrando uma formação à rede e fazendo o devido acompanhamento.

Para o formador, o projecto necessita de pessoas “engajadas, dinâmicas” e que pretendem levar os projectos desenhados adiante, não ficando somente no papel.

O mesmo chamou a atenção dos participantes, no sentido de “aproveitarem” a oportunidade, estruturando melhor a Rede formada, atribuindo responsabilidades a cada um, onde todos trabalham, uma vez que o plano de actividades apresentado em 2018 não se concretizou.

Na opinião dos formandos, a sensibilização e divulgação da rede junto das entidades da ilha é o primeiro passo a ser dado, e depois entrar na parte das formações e partes práticas.

Conforme informações avançadas por Mário Soares, já foram apresentadas duas fichas de projectos, onde enquadra-se a divulgação da Rede e uma outra que é a construção de uma unidade de conservação e transformação do pescado na localidade de Furna.

Entretanto, tendo em conta que o programa vai até 2020, a mesma fonte adiantou que o tempo não é suficiente para a construção de um espaço, o que exige a redefinição e readaptação do projecto a tempo e recursos disponíveis.