Ilha da Brava: Equipa médica da universidade de Valência atende cerca de 60 pacientes em dois dias

  • 04/08/2018 09:21

Uma equipa médica da Universidade Cardenal Herrera, Valência, Espanha, constituída por dois estomatologistas e quatro alunos desta área de medicina, realizou, durante dois dias, consultas desta especialidade a 60 pacientes na ilha Brava.

Segundo o delegado de Saúde, Carlos Reis, é uma “iniciativa louvável”, visto que a população enfrenta vários problemas, principalmente em relação aos dentes e Brava não tem um serviço de estomatologia no hospital ou clínica que funcione diariamente.

Além da extracção, limpeza, reparações e restaurações dentárias, estes especialistas, que estão na ilha Brava pela primeira vez, também ofereceram aos pacientes medicamentos.

“Todas estas acções médicas não possuem nenhum custo por parte dos pacientes, é tudo gratuito”, salientou o delegado de saúde.

Carlos Reis adiantou à Inforpress que os médicos trouxeram todos os materiais necessários, mas, o facto de a Delegacia ter uma cadeira para serviços estomatológicos que carece de uma intervenção, impossibilita um atendimento adequado nesta especialidade.

O sentimento é de satisfação para ambas as partes e o desejo é que mais acções do tipo se realizem.

Mesmo com tantos problemas dentários, na Brava ainda não há especialistas. No entanto, o delegado fez saber à Inforpress que, no âmbito do programa do Ministério da Saúde, para contemplar todos os centros de saúde com serviço de estomatologista, a Brava será contemplada.

“O projecto existe, mas para ter um estomatologista definitivo na ilha não tenho conhecimento, mesmo que é de extrema necessidade ter este serviço. Pode ser que fiquem na ilha do Fogo, e, regularmente, efectuarem consultas na ilha Brava, pois, é uma área fundamental”, finalizou.

A deslocação da missão médica solidária foi fruto de uma parceria entre a Embaixada de Cabo Verde e a Universidade de Valência, através do professor Inaki Orozco Aparício e as câmaras municipais da região Fogo/Brava.

A missão médica solidária da Universidade de Valência passa a efectuar duas deslocações por ano e pretende cobrir todos os municípios do país.

Nesta primeira missão, que abrangeu as ilhas do Fogo e Brava, contou com apoio institucional do Ministério da Saúde e das câmaras municipais da região.

MC/CP

Inforpress/fim