JOSÉ SANCHES TAVARES - CANDIDATO A LIDERANCA DO PAICV

  • 21/08/2019 04:50

O DEPUTADO JOSÉ SACHES, QUE TINHA SIDO DERROTADO POR RUI SEMEDO NA DISPUTA DA LIDERANÇA DA BANCADA PARLAMENTAR, VAI PARTICIPAR NA CORRIDA À PRESIDÊNCIA DO PAICV NAS DIRECTAS PREVISTAS PARA DEZEMBRO PRÓXIMO, COM CONGRESSO CONVOCADO PARA JANEIRO DE 2020. FELISBERTO VIEIRA, UM DOS ELEMENTOS DO CHAMADO GRUPO DE REFLEXÃO, JÁ CONVOCOU A IMPRENSA PARA, NO DIA 22, APRESENTAR, NO SALÃO DE BANQUETES DA ASSEMBLEIA NACIONAL, A PLATAFORMA DE APOIO À CANDIDATURA DE JOSÉ SANCHES TAVARES À LIDERANÇA DO PAICV.

Em nota remetido a este jornal, Filú destaca a missão histórica do PAICV, sobretudo como alternativa credível à governação de Cabo Verde. «A missão histórica reservada ao PAICV enquanto partido charneira da governação, cujo papel é preponderante na definição e liderança dos destinos da Nação, faz com que a sua responsabilidade seja tão importante no poder central como no poder local, quer na liderança do governo, quer na liderança da oposição. O que requer da organização uma permanente adequação da estratégia de abordagem da sociedade, com permanente formulação de propostas da governação e que o constitui em alternativa credível para a governação do país, e, ao mesmo tempo, requer da liderança um elevado sentido de missão e forte capacidade federadora, capaz de conquistar a confiança dos cabo-verdianos e liderar os destinos da Nação».

A pensar nisso, Felisberto Viera anuncia a sua disponibilidade de auscultar o povo do PAICV, visando construir uma alternativa à actual liderança de Janira Hopffer Almada nas diretas previstas para Janeiro próximo. «É neste contexto de enormes desafios para o PAICV, que gostaria de anunciar ao ‘POVO’ do Partido e a sociedade em geral, que enquanto militante comprometido com as mais nobres causas do PAICV, a minha total disponibilidade e iniciativa de promover uma jornada de auscultação dos militantes, visando a construção de uma ampla e inovadora Plataforma Alternativa à liderança do PAICV, para eleições diretas de Dezembro e congresso em Janeiro», assevera Filú.

 

Carta Aberta 
Camarada Militante, amigo e simpatizante do PAICV
Permita-me dirigir a ti, enquanto militante comprometido com o ideário do PAICV, com responsabilidades acrescidas por ter sido eleito Deputado da Nação nas listas do PAICV, atuando ativamente na frente de combate parlamentar, para, neste quadro estatutário de renovação dos Órgãos de partido, partilhar contigo os desafios que se colocam ao nosso grande partido no quadro da oposição democrática e as perspetivas do futuro.

A missão histórica reservada ao PAICV enquanto partido charneira da governação, cujo papel é preponderante na definição e liderança dos destinos da Nação, faz com que a sua responsabilidade seja tão importante no poder central como no poder local, quer na liderança do governo, quer na liderança da oposição, o que requer da organização uma permanente adequação da estratégia de abordagem da sociedade, com permanente formulação de propostas da governação e que constitui o PAICV em alternativa credível para a governação do país, e, ao mesmo tempo, requer da liderança, um elevado sentido de missão e forte capacidade federadora, capaz de mobilizar e conquistar a confiança dos cabo-verdianos e liderar os destinos da Nação

Camarada
Neste momento, a grande maioria dos cabo-verdianos, no país e na diáspora, avalia negativamente a governação do MPD, que se demitiu completamente das suas responsabilidades de socorrer as famílias fustigadas por dois anos de seca e mau ano agrícola, agravado por um desemprego galopante, com mais de metade dos cabo-verdianos sem ocupação produtiva, mais de 60 mil jovens desenquadrados de qualquer sistema de ensino, formação ou emprego e sem quaisquer perspetivas de futuro, mais de 70 mil cabo-verdianos em situação de fome desde 2018, de acordo com os dados das Nações Unidas e mais de metade dos cabo-verdianos desesperados para abandonar o país; Neste momento, somos confrontados com elevados índices de insegurança e criminalidade e falta de confiança na Justiça; é ainda neste quadro que o país assiste a graves problemas no sector dos transportes, com ligações irregulares e a custos elevados a nível interno e externo, de grande descontentamento social, com greves e manifestações, perante a insensibilidade do governo da república. 
Neste quadro, o PAICV devia ser a esperança e posicionar-se como uma alternativa clara e credível à governação do País.
Entretanto, somos confrontados com dados que evidenciam que, não obstante este cenário desolador e passados 3 anos na oposição, o PAICV ainda não tem dado sinais de vitalidade, atratividade e confiança, não está a conseguir mobilizar os cabo-verdianos e capitalizar o seu descontentamento em relação à governação do MPD, a ponto de provocar a mudança de rumo que o povo das ilhas reclama.

É neste contexto de enormes desafios e imperiosa necessidade de repensar os caminhos do futuro, que, com responsabilidade e ponderação, enquanto militante comprometido com as mais nobres causas do PAICV, tomei a iniciativa de promover uma jornada de auscultação aos militantes, visando a construção de uma ampla plataforma alternativa à liderança do PAICV, e, porque acredito convictamente na força do coletivo, muito gostaria de contar com a tua disponibilidade, o teu engajamento e os teus subsídios na edificação desta plataforma de ideias e propostas da governação, para juntos enformarmos uma visão partilhada do futuro, que possa devolver a esperança aos cabo-verdianos, resgatar o país e retomar os caminhos do progresso e da justiça.

Praia, 20 de Agosto de 2019.
Camaradamente
José Sanches