Loftleidir Icelandic Formaliza Oferta Para Compra De 51% Da Cabo Verde Airlines

  • 26/11/2018 08:10

A Loftleidir Icelandic, companhia aérea subsidiária do grupo islandês Icelandair, anunciou nesta sexta-feira, dia 23 de novembro, que, apresentará, juntamente com investidores islandeses, uma oferta vinculativa para aquisição de 51% das ações da Cabo Verde Airlines (ex-TACV), companhia de bandeira da República de Cabo Verde, um país africano constituído por um arquipélago situado no Atlântico a cerca de 600 quilómetros da costa ocidental de África, onde a língua oficial é o português.

As autoridades cabo-verdianas e a Loftleidir Icelandic cooperam desde há algum tempo. Em agosto de 2017, foi assinado um protocolo de gestão que teve em vista a continuidade e a reestruturação da Cabo Verde Airlines. O acordo também visava fortalecer o funcionamento do Aeroporto Internacional Amílcar Cabral/Sal, desenvolver as ilhas como um destino turístico promissor e construir um centro internacional para voos de conexão, que será também na ilha do Sal.

Coincidindo com o acordo, foi anunciado que a empresa deveria ser privatizada. A Cabo Verde Airlines possui licenças de operação para voos regulares para a Europa e para os Estados Unidos da América, que transitaram da antiga TACV – Transportes Aéreos de Cabo Verde.

 

Loftleidir Cabo Verde passa a ter a maioria do capital da ex-TACV

O preço de compra é confidencial, refere um comunicado distribuído pelo grupo islandês. No entanto, a aquisição será paga, em parte, pelo trabalho já realizado pelos funcionários da Loftleidir Icelandic.

O novo dono da CV Airlines será a nova empresa Loftleidir Cabo Verde, constituída especificamente para tal efeito. A Loftleidir Icelandic detém uma participação de 70% na nova empresa e outros investidores 30%. A aquisição da Cabo Verde Airlines pela Loftleidir Icelandic não tem efeito significativo nas demonstrações financeiras do Grupo Icelandair, uma vez que a Cabo Verde Airlines não será refletida nas demonstrações financeiras consolidadas do grupo. A ação será classificada como uma empresa associada.

 

foto: Nelson Dias