Médicos do “Project Health for Cape Verde” visitam ilha Brava para futuras intervenções na área da saúde

  • 30/11/2018 03:49

Um grupo de médicos do “Project Health for Cape Verde” encontra-se na ilha Brava para uma visita de dois dias, com o intuito de se inteirar da realidade da ilha e estabelecer contactos ligados na área da saúde.

Este grupo, que já actua em outras ilhas do país e tem mais de 10 anos a prestar apoios diversos à comunidade cabo-verdiana, veio à ilha Brava a convite da Fundação José Andrade para conhecer a realidade e a situação da saúde na ilha, com vista a equacionar possibilidade de cooperação futura.

Além de encontros institucionais, o grupo teve um encontro com a população local, em que explicou o propósito deste projecto e escutou as preocupações dos presentes.

João Tavares, um dos sócios fundadores do projecto, adiantou que uma das primeiras intervenções na ilha será o melhoramento das infra-estruturas, nomeadamente mais meios de diagnósticos, como o electrocardiograma, ultra-som e RX.

Tavares explicou que é necessário ainda ter um técnico somente para fazer estes testes que serão ao local onde possa ser feito a leitura e o relatório pelo médico, não tendo de estar necessariamente na ilha, tendo em conta o avanço das novas tecnologias.

Tendo em conta o número da população existente na ilha, tendo um médico para cerca de três mil pessoas, este médico considera o sistema de saúde “bem desenvolvido”, tendo em conta a situação constatada em outras regiões da África.

Em infra-estruturas, destacou o serviço de telemedicina instalado na ilha, que facilita a realização das consultas e que classificou de “progresso significativo”.

O presidente da Câmara Municipal da ilha Brava, Francisco Tavares, considera esta parceria de “grande valor” e mostrou-se “convicto” de que esta é uma “porta enorme” que se abre e que levará a “melhoria do sistema de saúde” na ilha.

O projecto deixou em aberto a possibilidade de realização de algumas análises visando a abertura “mais tarde” de uma clínica na ilha, o que teve o aval positivo do edil, prometendo isentar o projecto de “todas as taxas e licenças”, apoio com os recursos que a câmara possui, incluindo materiais e até apoios financeiros, mediante as possibilidades da autarquia.

“Para melhorar o sistema, a câmara tem de abraçar todas as organizações e ideias que trazem benefícios directos para a ilha e para a população, principalmente na área da saúde”, reforçou Francisco Tavares.

Este grupo pretende voltar no próximo mês de Maio com um grupo de dez médicos e alguns equipamentos para apoiá-los na missão e começar a apetrechar a delegacia com alguns materiais “essenciais” e “fáceis de obter”.

 

Inforpress/Fim