Ministério da Agricultura já tem resultados do processo instaurado ao delegado na ilha Brava

  • 25/09/2018 15:23

O Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) apresenta hoje, na cidade da Praia, os resultados do processo para apurar a veracidade das denúncias feitas pelos agricultores e criadores de gado contra o delegado na ilha Brava.

“Brava – Agricultores e criadores de gado acusam delegado do MAA na ilha de usar meios públicos “em benefício próprio “, é o título da matéria publicada pela Agência Cabo-verdiana de Notícias (Inforpress), no passado dia 23 de Agosto, e que levou o ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, a mandar abrir um processo para averiguar as denúncias.

Os resultados do processo que foi aberto no dia 24 de Agosto para apurar a veracidade das denúncias de que o delegado Estevão Fonseca estaria a “usar meios públicos em benefício próprio”, segundo o gabinete de comunicação daquele ministério, já estão prontos, e serão apresentados às 15:00, na capital do país.

Na altura da abertura do processo, o MAA explicou que “medidas administrativas e outras serão tomadas ou não, em conformidade com as conclusões do relatório de averiguação e com a lei, não se excluindo a possibilidade de solicitação da intervenção do Ministério Público, em caso de necessidade”.

Após as denúncias dos agricultores, os deputados municipais da bancada do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) entregaram uma “participação formal” para averiguação das denúncias e o deputado nacional Clóvis Silva, também do PAICV, “solicitou uma averiguação urgente da Procuradoria-geral da República”, neste caso.

Entretanto, o delegado do Ministério da Agricultura e Ambiente na ilha Brava, Estevão Fonseca, refutou as acusações dos agricultores e criadores de gado de que ele tem usado os meios públicos em benefício próprio, alegando que, “até ao momento, não deu entrada no Ministério da Agricultura e Ambiente na ilha Brava nenhuma denúncia proveniente de fonte credível” sobre as referidas acusações.

“Para mim, não restam dúvidas que se está perante uma cabala concebida e orquestrada para ferir a minha integridade moral e comprometer o bom exercício das minhas funções, mas asseguramos que esta manobra não nos vai fazer desviar do foco”, referiu na altura o delegado.

Das acusações feitas pelos agricultores e criadores e gado, estão a do acusado utilizar meios financeiros, transportes e funcionários do ministério em benefício próprio.