POLÍTICA DO BOTA ABAIXO versus INEXISTÊNCIA OU INEFICÁCIA DE CRIMES DE RESPONSABILIZAÇÃO DOS POLÍTICOS.

  • 15/06/2020 10:48

POLÍTICA DO BOTA ABAIXO versus INEXISTÊNCIA OU INEFICÁCIA DE CRIMES DE RESPONSABILIZAÇÃO DOS POLÍTICOS.

Sem querer defender partido A, B ou C, o certo é que existe em Cabo Verde uma política devassaladora do "bota abaixo". Ou seja, o partido A ganha as eleições, a primeira açäo no dia seguinte à tomada de posse é tentar demolir o que o partido B fez.

Este tipo de política é mais notório no MpD. Tiraram todos os cargos de chefia das mâos de quem os detinha para dar aos seus amigos do partido e näo segundo criteriosa competência profissional, porque os detentores anteriores desses cargos não "serviam". Todavia, a título de exemplo, os mais "competentes", empolgados com o cargo que lhes caiu de paraquedas, acabaram caindo nas malhas da corrupção ou da incompetência, pois eram ativistas partidários, o que näo confunde com competência profissional. Um caso bem explícito é o do Delegado do MA na Brava.
Isto näo significa que todos demonstram incompetências. Alguns até conseguem superar e darem-se bem ao cargo. O problema é que o partido tem como principal criterio a filiaçäo e não a competência técnica. Daí vem todo o emaranhado de problemas.

Em Cabo Verde as reformas educativas acontecem em quase cada eleição ou mandato de um partido politico, com todos os custos daí advenientes, enquanto a população carece de direitos básicos, tal como a HABITAÇÄO. Essas ditas reformas só satisfazem a uma elite política, mas näo às reais necessidades que se impõe. QUE LUXO! Sô a título de exemplo, os manuais escolares foram mudados completamente, às pressas, sem qualidade que se espera de politicas educativas isentas e comprometidas com o saber e o saber-fazer. Um dos níveis que mais sofre é o do ensino básico.
Uma grande aberraçäo que se recorda foi uma mudança radical no sistema educativo, apenas por despacho ministerial, contrapondo a lei de bases do sistema educativo.

Não querem asfaltar a estrada de Nossa Senhora do Monte sob o argumento de impacto ambiental. Deve ser impacto negativo do alcatrão para a grande reserva ecológica do grande ecossistema local; malefício para os pássaros endémicos que só existem na localidade; à problemática de saüde publica da tão estimada população, com a exposição aos elevados índices de produtos químicos de alta perigosidade que faz lembrar a usina nuclear de Chernobyl, cujo acidente ceifou vidas e ainda a população sofre sequelas até hoje.

Agora, sobre Casa para Todos, para não daram seguimento a política de habitaçäo social, mantém fechadas as casas apenas por caprichos polîticos de deitar por terra políticas herdadas do outro partido, sob o argumento de irregularidades. Havendo alguma irregularidade que possam corrigir e dar seguimento a política de habitaçäo social, preferem deixar a população com a ideia de que o problema é tâo bicudo e de dificil solução. Não apresentam alternativas e ainda desalojam cidadäos que vivem em barracas, problemas que os pròprios partidos criam.

As obras são projetadas, construídas pelo governo de um partido, mas ganhando o outro, as mesmas já näo servem.
É visível e notöria essa forma de fazer política que só traz retrocessos para o nosso País.
Usam-se de meias-verdades, falam de incumprimento de contratos do outro partido quando ele próprio prefere que assim aconteça, com todas as consequências imdemnizatórias, para usar isso como arma de arremesso nas eleições e para enganar os menos avisados. Como sabem que dificilmente a populaçäo terá acesso a toda a documentação, fica assim mesmo pelo dito e pelo não dito. Se a própria líder do paicv vem reclamando de.falta de acesso aos dossiers, imaginem nós outros.
Que we tirem as devidas ilações!
Perante esses e tantos outros que considero crimes de RESPONSABILIZAÇÃO, Cabo Verde só avançará se se começar a responsabilizar criminalmente os políticos. É preciso que a PGR seja mais atuante e tenha forte retaguarda jurídica. Para isso, sejam legislados pacotes anti-corrupção como forma de desincentivar práticas criminosas contra o erário público que se vem cometendo, mas sem devidas consequências criminais.

QUE SE TIREM AS DEVIDAS ILAÇÕES!

Samuel Santiago