Debate sobre Identidade: cabo-verdianos questionam sua africanidade em meio à celebração desportiva do CAN (Confederação Africana das Nações)

(…)Na esteira das recentes victórias da seleção de Cabo Verde no CAN 2023 e a sua passagem aos oitavos de finais, as redes sociais no arquipélago fervem não apenas de celebração, mas também de um intenso debate sobre identidade. Com o país comemorando meio século de independência, os habitantes da ilha de Brava estão imersos em discussões acaloradas sobre a própria essência africana.

Jan 25, 2024 - 15:37
Jan 25, 2024 - 15:47
 0  81
Debate sobre Identidade: cabo-verdianos questionam sua africanidade em meio à celebração desportiva do CAN (Confederação Africana das Nações)

(...) Enquanto a euforia toma conta do país devido ao sucesso desportivo de sua seleção, muitos bravenses se encontram envolvidos em conversas online sobre questões profundas de racismo, preconceito e discriminação. A pergunta central que divide a opinião é se Cabo Verde deve se identificar como africano, europeu ou de alguma outra forma.

A polarização crescente reflete a complexidade da identidade caboverdiana, influenciada por uma história única de colonização, miscigenação e independência. Algumas vozes argumentam que a cultura e as raízes cabo-verdianas têm fortes laços africanos, enquanto outros destacam as influências europeias em diversos aspectos da sociedade, incluindo a língua oficial, o crioulo cabo-verdiano.

Este debate adquire relevância especial dado o contexto da celebração do 50º aniversário da independência de Cabo Verde (em 2025). A dualidade entre as influências culturais africanas e europeias está profundamente enraizada na identidade cabo-verdiana, levando a uma reflexão profunda sobre como o país se vê em relação ao continente africano.

Enquanto a seleção nacional traz orgulho e união ao país, as discussões online revelam que a identidade de Cabo Verde é uma questão complexa e multifacetada, que vai muito além do campo desportivo. À medida que os bravenses exploram suas próprias raízes e narrativas, o debate sobre o que significa ser cabo-verdiano em um contexto africano ou europeu continua a moldar as conversas nas redes sociais e além.

O debate sobre a africanidade crioula em Cabo Verde atrai a atenção de diversos estudiosos e intelectuais, cujas perspectivas enriquecem o diálogo em torno da identidade cabo-verdiana. Entre os acadêmicos e especialistas que contribuíram para essa discussão, destacam-se:

Corsino Fortes: Escritor e ex-diplomata, Corsino Fortes é uma figura literária importante em Cabo Verde. Seus escritos muitas vezes abordam questões de identidade, pertencimento e as complexidades culturais do arquipélago.

Manuel Veiga: Manuel Veiga: Poeta, linguista e ensaísta, Manuel Veiga é uma figura proeminente no cenário cultural cabo-verdiano. Seus escritos abordam temas relacionados à língua, identidade e cultura, oferecendo uma perspectiva valiosa sobre a complexidade da africanidade crioula.

Fátima Bettencourt: Historiadora e professora universitária que contribuiu significativamente para a pesquisa histórica em Cabo Verde.

José Luís Hopffer Almada: Escritor, poeta e historiador, com foco em temas relacionados à história e cultura cabo-verdianas.

Odair Barros Varela: Historiador e autor de obras que abordam a história política e social de Cabo Verde.

António Carreira: Historiador e professor universitário, conhecido por suas pesquisas sobre a história econômica e social de Cabo Verde.

Adriano Miranda Lima: Historiador e autor que se concentra em temas como a escravidão e a diáspora africana, com relevância para Cabo Verde.

Jorge Tolentino: Escritor, historiador e diplomata cabo-verdiano, cujas obras abordam a história política e cultural do arquipélago.

Onésimo Silveira: Historiador e político, desempenhou um papel significativo na independência de Cabo Verde e contribuiu para a história contemporânea do país.

David Leite Viegas: Historiador e professor universitário, com foco em estudos africanos e cabo-verdianos.

Margarida Fontes: Historiadora e pesquisadora, Margarida Fontes se destaca por seu trabalho acadêmico que explora a história de Cabo Verde, especialmente durante os períodos colonial e pós-colonial. Suas análises lançam luz sobre as dinâmicas sociais que moldaram a identidade cabo-verdiana.

Esses estudiosos, cada um à sua maneira, oferecem diferentes perspectivas sobre a interseção entre a africanidade e a identidade crioula em Cabo Verde. Suas obras e contribuições ajudam a contextualizar o debate actual, fornecendo insights valiosos para aqueles que buscam compreender a rica tapeçaria cultural que define o povo cabo-verdiano. O diálogo entre as gerações e as diversas disciplinas acadêmicas continua a ser fundamental para a compreensão profunda dessas questões complexas.

A polêmica em torno da identidade cabo-verdiana, especificamente sobre a africanidade crioula, ganha força à medida que as discussões se aprofundam na sociedade. Aqui estão alguns pontos que destacam a complexidade dessa polêmica:

  • Influência Histórica: A história de Cabo Verde é marcada pela colonização portuguesa, que deixou uma herança cultural profunda. A mistura de africanos, europeus e, posteriormente, a influência de outros povos devido à diáspora cabo-verdiana, resultou em uma identidade única e complexa.

  • Cultural e Linguística: A língua oficial de Cabo Verde é o português, uma herança colonial. No entanto, o crioulo cabo-verdiano, uma língua crioula baseada no português, é amplamente falado e é uma expressão cultural distintiva que reflete a influência africana na linguagem.

  • Identidade Nacional versus Africana: A questão central da polêmica muitas vezes gira em torno de como os cabo-verdianos se identificam nacional e culturalmente. Alguns defendem fortemente a africanidade crioula, enfatizando as raízes africanas na cultura, música e tradições. Outros destacam as influências europeias, argumentando que a história colonial também é parte integrante da identidade cabo-verdiana.

  • Celebração desportiva como Catalisador: A vitória da seleção de Cabo Verde em competições africanas serviu como catalisador para essas discussões. A euforia desportiva despertou um interesse renovado na própria identidade do país, levando as pessoas a questionarem o que significa ser cabo-verdiano no contexto africano.

  • Desafios Contemporâneos: As discussões sobre identidade também se entrelaçam com questões contemporâneas, como racismo, preconceito e discriminação. Muitos veem a necessidade de abordar essas questões internamente, enquanto se solidificam como nação e membro da comunidade africana.

A polêmica revela a riqueza e a diversidade da identidade cabo-verdiana, destacando que a africanidade crioula é uma narrativa em constante evolução. Essas conversas proporcionam uma oportunidade para os cabo-verdianos explorarem e compreenderem melhor sua história e cultura, moldando assim o caminho para o futuro em um mundo globalizado.

 

Um  estudo consultado para fazer este artigo, examina a complexa questão da identidade cabo-verdiana, com foco na interseção entre a africanidade e a herança crioula. Com base em uma abordagem multidisciplinar, o trabalho analisa as influências históricas, culturais e linguísticas que moldaram a identidade única de Cabo Verde.

A pesquisa destaca a herança da colonização portuguesa e a formação de uma sociedade miscigenada, resultando em uma fusão de elementos africanos e europeus. A língua crioula cabo-verdiana é explorada como um reflexo linguístico dessa fusão, enquanto o português permanece como a língua oficial, evidenciando a dualidade cultural.

A polêmica em torno da identidade atinge seu ápice durante eventos desportivos que despertam o orgulho nacional. As discussões online revelam diferentes perspectivas sobre como os cabo-verdianos se veem em relação à sua africanidade, com alguns enfatizando as raízes africanas e outros destacando as influências europeias.

Este estudo destaca a contribuição de estudiosos locais, cujas análises enriquecem o debate. A pesquisa conclui que a identidade cabo-verdiana é uma narrativa em constante evolução, influenciada por factores históricos, culturais e contemporâneos. As discussões sobre a africanidade crioula fornecem uma plataforma crucial para os cabo-verdianos explorarem e compreenderem melhor sua identidade em um contexto global.



M. Santiago

25/1/2024

Qual é a sua reação?

like

dislike

love

funny

angry

sad

wow