Brava: Comissão Municipal da Saúde reuniu-se para discutir plano de actuação nas festas de São João

  • 31/05/2019 05:04

A Comissão Municipal da Saúde (CMS) da Brava reuniu-se no final de quinta-feira, 30, para discutir o plano de actuação nas festividades de São João, a iniciar neste final de semana, com a abertura das barracas.

Segundo o presidente da comissão, Carlos Dias, este encontro teve como objectivo, concertar os pontos necessários, discutir os planos executados no ano anterior, de forma a dar continuidade ao plano de 2018 com melhorias e, assim, fazer cada ano melhor.

Com a discussão sobre as medidas implementadas no ano transacto, o comandante da esquadra policial da Brava salientou que durante as festividades no ano passado as ocorrências diminuíram em relação aos anos anteriores e sem casos de agressão.

A comissão fez um conjunto de recomendações principalmente sobre as barracas, que já são características das festas de São João há várias décadas, solicitando à câmara municipal que crie um regulamento próprio para as barracas, assim como diminuir a duração de 30 para 20 dias.

Ainda no que diz respeito às barracas, espaço que aglomera maior número de pessoas durante a época festiva, a CMS garantiu que serão feitas fiscalizações semanalmente, envolvendo vários parceiros.

Pediu também sentinas públicas com condições de higiene e salubridade condizentes com a dimensão do evento, assim como uma sessão de sensibilização para os proprietários das barracas, no sentido de fazer deles os primeiros vigilantes em sanidade e segurança.

Sobre a venda e o consumo de bebidas alcoólicas, a CMS salientou que vai continuar com as regras estabelecidas na lei e colocadas em prática no ano passado, proibindo a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos, que frequentem e dormem nas barracas e proibir venda de bebidas alcoólicas em garrafas de vidros no recinto desportivo durante as festividades, medidas estas que segundo os parceiros presentes funcionaram no ano transacto.

No quesito do saneamento do local, a CMS pediu à câmara para criar condições no sentido de garantir a limpeza do espaço e das sentinas públicas durante 24 horas, fiscalizar de forma rigorosa as barracas, para garantir que as medidas de higiene estão sendo implementadas, entre outras medidas.