No Porto da Furna, ancorava um vaso de guerra enviado de Lisboa para prender EUGÉNIO TAVARES

  • 13/12/2022 18:25

No Porto da Furna, ancorava um vaso de guerra enviado de Lisboa para prender EUGÉNIO TAVARES. Este apoderou - se das vestes de uma velha de saia comprida, blusa para baixo do umbigo e do seu cachimbo fumegando e fugiu neste veleiro que vos apresento a caminho da América. Prometo um dia destes dar-vos o poema que nos conta como se enfunaram as velas desse veleiro para levar Eugénio Tavares para fora de Cabo Verde.