Brava: Comunidade piscatória da Brava pede solução para transporte de mercadorias

A comunidade piscatória da ilha Brava manifestou-se hoje “indignada” com a forma como a empresa CV Interilhas tem estado a “lidar” com o transporte de carga no percurso Brava/Santiago.

Oct 14, 2023 - 05:34
 0  157
Brava: Comunidade piscatória da Brava pede solução para transporte de mercadorias

Em entrevista à imprensa, um dos comerciantes de peixe Reinaldo Martins mostrou-se “insatisfeito” com a empresa CV Interilhas e questionou “como é possível o navio transportar as viaturas de cargas da ilha de Santiago até o Fogo e não conseguir trazer o carro para a Brava?”.

“As viaturas de mercadorias viajam da cidade da Praia para a ilha do Fogo e ali fazem a descarga que, por conseguinte, volta de novo para a ilha de Santiago. Nós não estamos a entender porque é que não está sendo enviado, pelo menos, uma viatura para transportar os nossos peixes, visto que é uma mercadoria que se não for bem conservada perde qualidade dia após dia”, questionou.

A mesma fonte acrescentou ainda que os comerciantes preparam as suas mercadorias e conservam-nas muito bem, contudo, no dia da viagem são informados que a viatura que transporta as cargas para as outras ilhas não viajou para a Brava.

“Esta não é a primeira vez que acontece este tipo de constrangimento. A empresa tem estado a preocupar-se apenas com o seu lucro, porém não estão a pensar nos seus clientes e nem se preocupam em saber o que é que os comerciantes passam para terem os seus produtos no porto da Furna e na hora de viajar não ter viagem”, salientou.

Reinaldo Martins realçou ainda que a maior parte da população da localidade da Furna vive de pesca e que com este problema os pescadores e vendedores ficam prejudicados e o comércio “paralisado”.

Por seu turno, o comerciante João Domingos disse que também ficou prejudicado com esta situação, isto porque foi comprar os peixes na localidade de Lomba Tatum, para poder transportar para a cidade da Praia, todavia não conseguiu fazer o embarque.

“Trazemos os nossos peixes para o cais com o intuito que seja embarcado, pois a mercadoria fica à mercê do sol e do calor. No entanto, na hora da viagem fomos informados que não vai ser possível transportar as cargas, daí, temos que voltar a congelar novamente os peixes que vão perdendo a sua qualidade”, comentou.

A comunidade piscatória mostra-se “insatisfeita” com o constrangimento que estão sendo obrigados a passar, por isso, apelam à CV InterIlhas a resolver o problema o mais depressa possível, visto que, este comércio é o ganha pão de muitos familiares no concelho.

Qual é a sua reação?

like

dislike

love

funny

angry

sad

wow