Brava: Ulisses Correia e Silva prevê entrega do novo centro de saúde aos bravenses daqui a dois anos

  • 08/11/2022 15:08

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, prevê a entrega de um novo centro de saúde à população bravense daqui a dois anos, relembrando que é um processo que tem de seguir os seus trâmites legais.

Ulisses Correia e Silva fez este anúncio no acto da apresentação do projecto de arquitectura do novo centro de saúde que será construído na Brava, realçando que este vai permitir melhorar de uma forma “significativa” as condições de prestação de serviços de saúde na ilha.

Conforme declarou o chefe do Governo, para além de um edifício moderno e adequado, as instalações vão ter todas as valências médicas quase de tipo hospitalar que também vai permitir que os profissionais de saúde tenham melhores condições de trabalho e que os utentes tenham melhores condições de atendimento, aumentando assim a qualidade de serviço.

O primeiro-ministro exemplificou com os outros centros de saúde que o Governo já construiu, indicando o da Santa Maria na ilha do Sal, o outro em Assomada, ou mesmo em São Lourenço dos Órgãos, anunciando que o da Brava será idêntico, realçando que este, será enquadrado dentro da sua política arquitectónica e com as cores conforme exige o Código de Postura da Câmara Municipal da Brava.

Este novo Centro de Saúde “permitirá a ilha ter mais um elemento de segurança na prestação de saúde, na garantia de ter os serviços de qualidade aqui ao pé, reduzindo assim as assimetrias do acesso à saúde o que garante colocar a Brava num outro patamar”, elencou o chefe do executivo, confiante de que o Governo “deu mais um passo muito importante para o futuro da ilha”.

Este projecto vai ser financiado pela cooperação luxemburguesa em parceria com o Governo, onde o projecto já foi aprovado e agora será feito o lançamento do concurso e a parte da execução que conforme avançou, acredita que dentro de dois anos estará em condições de entregar um novo edifício aos bravenses.

Nesta questão, o presidente da Câmara Municipal da Brava, Francisco Tavares, demonstrou a sua satisfação com o projecto, realçando que este é uma mais-valia para o futuro e desenvolvimento da Brava.

“Não é apenas um centro de saúde, mas sim quase um hospital de menor dimensão respondendo assim às grandes expectativas dos bravenses aqui na ilha, e dos emigrantes, que almejam sentir mais segurança no sistema de prestação de saúde”, disse o autarca, colocando a possibilidade que com a materialização do projecto haverá mais emigrantes a procurarem a ilha natal para as férias e mesmo para viverem após a reforma.

Para a população bravense, a efectivação deste projecto constituirá “um grande ganho” não somente para a Brava, mas para todo o país, pois com um novo centro de saúde com todas estas valências, permitirá a realização de mais consultas e exames de especialidades na ilha, assim como o assegurar de melhores cuidados, evitando assim a deslocação para a ilha do Fogo ou da Praia que acarreta sempre custos mais elevados.

De acordo com a apresentação pública feita na câmara municipal, o novo edifício terá dois pisos, e trará algumas novidades como um bloco operatório, sala para pequenas cirurgias, uma morgue, sala de fisioterapia, estomatologia, sala multiuso, entre outros compartimentos, além dos que já funcionam na ilha, embora com outras melhorias e valências.

 

Inforpress/Fim