LHA BRAVA: DEPUTADO CLÓVIS SILVA DENUNCIA SITUAÇÕES DE COMPLETO ISOLAMENTO, FALTA DE ÁGUA E TOTAL INÉRCIA DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL

  • 02/06/2019 05:17

LHA BRAVA: DEPUTADO CLÓVIS SILVA DENUNCIA SITUAÇÕES DE COMPLETO ISOLAMENTO, FALTA DE ÁGUA E TOTAL INÉRCIA DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL

Enquanto Deputado da Nação Eleito pelo círculo eleitoral da Brava, venho por este meio denunciar os sinais de regressão nos transportes para a ilha Brava.

Neste exacto momento a Brava está totalmente isolada desde quarta-feira, e ontem recebemos numa mensagem da empresa CVFF de que está ainda cancelada a viagem prevista para hoje, sem data para reposição.

Isto é inaceitável, tendo em conta que não estão em causa, nem as condições meteorológicas e nem problemas técnicos.

Durante este mês de maio, esta mesma situação ocorreu por três vezes, que identificamos, isolando a Ilha e sem que houvesse qualquer explicação.

Em todas elas, os passageiros já estavam a bordo do navio Kriola mas tiveram que desembarcar sem que lhes fosse dado qualquer justificação para tal.

Ontem, saiu nos informativos on-line que a empresa CVFF reclama de sabotagem e abuso de poder do IMP, o que deixa no ar um sério problema de relacionamento institucional e reclamamos uma intervenção do Governo para que a normalidade seja reposta.

Da Câmara Municipal da Brava não se ouve qualquer pronunciamento para a defesa da população e não resta outra alternativa se não exigir a intervenção do Governo, nesta matéria, quando muito porque nos avizinhamos das festas de São João, que aumenta o fluxo de passageiros para a Brava e agudizará este problema para a nossa ilha e para a nossa população.

Acabamos de obter a informação no Plenário da Assembleia Nacional, que o Navio Kriola retomará a sua viagem com destino à Brava hoje, sexta-feira.

Entretanto, esta situação põe a nu a incapacidade dos intervenientes neste sector de se entenderem sobre a melhor forma de gerir o sector dos transportes para a Ilha Brava.

Outro Grave problema que afecta a nossa Ilha é na prestação do serviço de fornecimento de água na Brava.

A localidade de cachaço nunca esteve na condição que está hoje, há mais de 20 dias sem o fornecimento de água para a população. E não há previsão de reposição da normalidade.

Está-se a tentado o fornecimento de água através de um auto-tanque, mas o único que existe na ilha só tem capacidade para cerca de duas toneladas de água, que é irrelevante face ao número de famílias desta localidade, e mesmo assim custa 600 escudos cada tonelada, não estando ao alcance de todos.

Também nesta matéria, a Câmara Municipal nada diz, nada faz e aparentemente nada sabe sobre este grave problema.

Apelamos à intervenção do Governo para olhar para a Ilha Brava, pois estes sinais mostram claramente que temos que melhorar a planificação, temos que mudar de estratégia pois aquilo que existe não está a servir os interesses dos cabo-verdianos da Brava.

Por fim, gostaria de denunciar a situação grave de falta de funcionamento da assembleia municipal da Brava, o que provoca o silenciamento dos Deputados Municipais do PAICV.

Meus senhores, a brava está mergulhada numa situação de ilegalidade dos seus órgãos, em que a Presidente da Assembleia Municipal está a impedir o funcionamento de um órgão que existe ao abrigo da constituição da República de Cabo Verde.

A sessão obrigatória de Novembro de 2018 não foi realizada em Novembro.
A sessão obrigatória de Fevereiro não foi realizada.A sessão obrigatória de Abril não foi até ainda realizada.

Pedimos mais uma vez ao Ministério Público que em defesa dos interesses dos Bravenses em defesa da Constituição de Cabo Verde, veja esta situação, que constitui crime de responsabilidade que deve resultar em perda do mandato da Presidente da Assembleia Municipal da Brava, pois já o dissemos antes, está a receber o dinheiro do povo para exercer o cargo e não trabalha.

Isto é inaceitável, pela sua gravidade e pelo seu impacto que está a ter na Brava.

Hoje temos uma ilha cada vez mais pobre, com cada vez mais problemas sociais e isto tudo é originado pela inércia dos poderes constituídos, que não estão a defender o cidadão bravense.

Obrigado!