Brava: “Não há nenhum aluno do 1º ao 8º ano que fica fora do sistema por falta de material ou de condições” – director do CENS

O director do Complexo Educativo de Nova Sintra (CENS), na Brava, David Fernandes, garantiu hoje, que não há nenhum aluno do 1º ao 8º ano que fica fora do sistema por falta de material ou de condições.

Nov 9, 2019 - 08:22
 0  4
Brava: “Não há nenhum aluno do 1º ao 8º ano que fica fora do sistema por falta de material ou de condições” – director do CENS

O director do Complexo Educativo de Nova Sintra (CENS), na Brava, David Fernandes, garantiu hoje, que não há nenhum aluno do 1º ao 8º ano que fica fora do sistema por falta de material ou de condições.

Este responsável deu esta garantia à Inforpress, no acto da entrega de 65 mochilas aos alunos do 1º e 2º ano do Ensino Básico Integrado, da Escola Manuel Rodrigues Gomes, oferecidos pela associação “Bravenses Unidos”, radicados nos Estados Unidos da América.

Segundo David Fernandes, na cidade de Nova Sintra, esta é a escola maior do primeiro ciclo que têm no agrupamento, onde recebem crianças do 1º ao 4º ano, que rondam os 200 alunos.

Salientou ainda que na escola existem alunos oriundos de famílias onde as condições socioeconómicas são diferentes e os materiais que foram entregues hoje, estavam para ser entregues logo no início do ano lectivo, mas devido a alguns problemas e burocracias enfrentadas com a alfândega só agora foi possível.

“Estes materiais vão apoiar nos estudos das crianças e diminuir a diferença em termos de tipos de materiais utilizados por elas e lhes permitem acompanhar as matérias de forma a atingirem um certo grau de sucesso escolar”, reconheceu o responsável.

O mesmo acrescentou ainda que nas mochilas, somente não se encontram os manuais, pois os utilizados aqui são diferentes dos em uso nos Estados Unidos.

À semelhança da escola de Mato Grande, a de Cova Rodela, duas que também já tinham sido beneficiadas anteriormente, David Fernandes reforçou que o que se tem a fazer é agradecer aqueles que conseguem mobilizar pessoas para angariar fundos suficientes para proporcionar momentos do tipo às crianças.

E aos pais, pede a colaboração no sentido de seguirem os seus filhos, de forma a incentiva-los a preservarem os materiais, demonstrando-lhes a importância de cada um.

Neste sentido, afirmou que hoje, pode-se dizer categoricamente de que do primeiro ao 8º ano que nenhum aluno fica sem ir à escola devido a falta de condições.

Agora, a diferença segundo o mesmo, é que um pode ter condições de comprar uma mochila mais cara do que outro, ou um outro material.

Dinora Cardoso, mãe e encarregada de educação, enalteceu esta iniciativa, pois, conforme contou à Inforpress, ela é mãe solteira e o pai do seu filho já faleceu.

Segundo a mesma, não consegue dar ao seu filho os materiais a altura das outras crianças, mas sempre faz o melhor possível e já com esta oferta, fica mais tranquila porque o seu filho vai poder chegar na escola com uma mochila e materiais ao pé de igualdade com os outros.

Por seu turno, Adalgisa Santos, mobilizadora destas ofertas, residente há mais de 20 anos nos Estados Unidos, disse que este acto é um cumprir das suas promessas e o realizar dos sonhos.

Pois, segundo a mesma, ao sair de Cabo Verde fez a promessa de tentar apoiar os que mais necessitam, pelo facto de ser oriunda de uma família humilde e que passou por muitas dificuldades.

Daí, com um grupo de dez pessoas, a associação vem apoiando diversas escolas há já mais de 15 anos e pretendem dar continuidade, como uma forma de “diminuir” as diferenças entre os alunos pelo menos na escola em termos de materiais e apoiar na área da alimentação.

MC/CP

Inforpress/fim

Qual é a sua reação?

like

dislike

love

funny

angry

sad

wow