Brava: PAICV pedem exoneração do delegado do Ministério da Agricultura e Ambiente

  • 04/07/2019 03:00

O  PAICV (oposição) pediram hoje a exoneração do delegado do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) na Brava face a condenação do mesmo pelo tribunal.

O pedido foi feito em conferência de imprensa, após a sentença do Tribunal da Comarca da Brava, que “condenou o delegado pelo crime de forma continuada, agindo de forma livre, consciente, deliberada, sabendo que aquelas condutas eram proibidas e punidas pela lei”.

O porta-voz do grupo, Jorge Reverdes, pediu ao primeiro-ministro que faça a exoneração e substituição “imediatamente” do delegado e que não seja permitido ao mesmo o cumprimento de qualquer função no Estado pela “gravidade do crime” que foi condenado, como forma de impedi-lo de continuar a cometer este crime contra o povo da ilha.

Outrossim, a bancada felicitou o trabalho feito pela Procuradoria e pelo tribunal da Brava, no sentido de apurarem a veracidade dos factos, pois, conforme o porta-voz, “a corrupção e o desvio dos bens do Estado são crimes cometidos contra todos, não devendo ninguém fazer o uso deles para se enriquecer”.

Aos agricultores, pastores e criadores de animais da ilha, o deputado salientou que a bancada está solidária com a classe, tendo em conta que é a classe que se saiu mais prejudicada com o “desvio” dos bens por parte do delegado, que poderiam ser utilizados para beneficiar centenas de famílias na ilha.

Para finalizar, Jorge Reverdes adiantou que é com o sentimento de “dever cumprido”, que a bancada pretende manter “firme na defesa dos interesses do povo da ilha” e continuar em alerta para que o município seja tratado com “respeito e consideração”, por todos aqueles que têm a “obrigação” de usar os bens públicos para o bem comum.