Brava: Nossa Senhora do Monte ganha a sua primeira praça e um complexo desportivo e cultural

  • 18/08/2020 04:54

A freguesia de Nossa Senhora do Monte, elevada a categoria de Vila há cinco anos, já possui a sua primeira praça e um complexo desportivo e cultural, que vai permitir a localidade ter uma “nova dignidade”.

Estas obras foram inauguradas no domingo pelo ministro de Estado, dos Assuntos Parlamentares e da Presidência do Conselho de Ministros e ministro do Desporto, Fernando Elísio Freire, que em declarações à imprensa considerou os investimentos na área desportiva “importantes” na medida estratégica de “igualar” as oportunidades desportivas em todas as ilhas.

Segundo o governante, o objectivo é que independentemente da ilha ou da localidade do País, os cidadãos possam ter acesso àquilo que é o bem básico como desporto e a actividade física.

Sobre às intervenções na Brava, salientou que é uma forma de “reter a população, criar mais dinâmica económica” e permitir que haja “maior atractividade” de investidores e de pessoas para as férias, e mesmo para os residentes.

“Já inauguramos o complexo desportivo e cultural, apoiamos a câmara municipal nas intervenções de transformação da placa desportiva de Mato num polivalente, agora vamos passar para a localidade de Palhal como forma de generalizar a prática desportiva e igualar oportunidades das localidades”, avançou Elísio Freire.

Por seu turno, o presidente da Câmara Municipal da Brava, Francisco Tavares, considerou o acto de inauguração e a assinatura do memorando para a construção da placa desportiva de Palhal, requalificação do pavimento do polivalente de Lém e a aplicação de relva sintética e pavimento de borracha no parque infantil em Mato Grande, como “mais um passo grande” para a edificação de “uma Brava melhor”.

“Quem conhecia este espaço e o vê agora, vai ver um espaço com excelentes condições para a prática desportiva”, considerou o autarca.

Sobre a assinatura do memorando de entendimento para o financiamento da placa desportiva de Palhal, disse responder a uma “grande necessidade” daquela população, que é a única localidade que possui um “número de população considerável”, fica distante de outras zonas e que não tinham acesso a um local para a prática desportiva.

Nesta mesma senda, o edil avançou que já está na hora de começar a pensar num polidesportivo coberto para a ilha, que segundo o mesmo vai ser mais um dois desígnios a alcançar nos próximos tempos, bem como algumas intervenções nas placas desportivas de Cachaço, Cova Rodela, Fajã d´Água e Santa Bárbara.

Em representação aos jovens e moradores desta comunidade, António Gomes viu a remodelação da antiga placa como uma “grande intervenção”, dando “mais dignidade” a freguesia e ocupação aos jovens.

O investimento no espaço, conforme explicou Francisco Tavares, rondou os 16 mil contos e vai fazer a vila ganhar um ginásio, uma lanchonete, um centro multimédia, espaço para duas ou três pequenas lojas, um grande salão para actividades culturais com todas as condições para tal e, na parte desportiva, com a requalificação total da parte polivalente com o piso sintético em acrílico e com iluminação nocturna.