Covid-19/Brava: Resultado do teste PCR a paciente suspeito de coronavírus deu negativo

  • 11/07/2020 10:15

O resultado do teste PCR realizado ao suspeito da covid-19 na ilha Brava acusou negativo, assim como o da esposa e uma filha, estando ainda pendente o resultado de mais duas filhas.

Esta informação foi avançada à Inforpress pelo delegado de saúde da ilha Brava, Júlio Barros.

A mesma fonte sublinhou que ainda está a aguardar os outros dois resultados, para eliminar a hipótese de casos suspeitos na ilha.

A ilha Brava entrou na lista das ilhas com casos suspeitos da covid-19 no passado dia 06 de Julho, altura em que foi realizado um teste rápido a um paciente que tinha chegado à ilha no passado dia 27 de Junho, vindo da cidade da Praia com o seu teste PCR negativo, mas já no exame de controlo este acusou positivo.

Na altura, o delegado de saúde explicou que o teste rápido realizado deu positivo, o que significava que este paciente teve contacto com alguém que tinha o vírus, mas não significava que era um caso positivo, o que foi confirmado com o PCR hoje.

Com este resultado, Júlio Barros volta a apelar à população bravense a respeitar as normas e medidas de segurança emanadas pelo Ministério da Saúde.

O responsável acrescentou que com as novas directrizes que já saíram, na próxima semana serão tomadas outras medidas na ilha, principalmente no que tange ao funcionamento dos bares, distanciamento social entre outras.

Cabo Verde contabiliza neste momento 1.553 casos positivos acumulados, dos quais 19 óbitos, dois doentes transferidos para os seus países de origem, 730 pessoas recuperadas e 802 casos activos.

Os casos estão distribuídos pelas ilhas de Santiago com 1.193 casos acumulados (76,8%), Sal 273 (17,5%), Boa Vista 57 (3,6%), São Vicente 12 (0,7%) São Nicolau 11 (0,7%), Santo Antão 4 (0,2%) e Maio 2 (0,1%).

A pandemia de covid-19 já provocou quase 551 mil mortos e infectou mais de 12,12 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP).

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de Dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

MC/JMV

Inforpress/Fim