A frustrante dicotomia entre o grande poderio de realização dos emigrantes bravenses e a falta de vontade de fazer grande

(...) A emigração é um fenômeno comum em muitas sociedades ao redor do mundo, e Brava, uma pequena ilha do arquipélago de Cabo Verde, não é exceção. Os bravenses têm uma longa história de emigração, principalmente para os Estados Unidos da América, em busca de oportunidades melhores em terras estrangeiras. Muitos encontraram sucesso significativo em seus empreendimentos no exterior, demonstrando um notável poderio de realização. No entanto, essa conquista muitas vezes contrasta com a aparente falta de vontade de fazer grandes mudanças ou investimentos na própria ilha. Esta dicotomia entre o sucesso no estrangeiro e a estagnação local é uma questão complexa que merece uma análise aprofundada.

Feb 8, 2024 - 15:34
Feb 8, 2024 - 15:36
 0  227
A frustrante dicotomia entre o grande poderio de realização dos emigrantes bravenses e a falta de vontade de fazer grande

Brava, a menor ilha habitada do arquipélago de Cabo Verde, possui uma população que enfrenta desafios socioeconômicos significativos. A emigração tem sido uma válvula de escape tradicional para os bravenses em busca de oportunidades que não encontram em casa. Muitos emigrantes bravenses alcançaram sucesso em várias partes do mundo, contribuindo para as economias de seus países de acolhimento e até mesmo para suas comunidades de origem. No entanto, a ilha de Brava continua a lutar com problemas de desenvolvimento e estagnação econômica. Esta disparidade entre a realização no exterior e a inércia local é uma questão intrigante que merece investigação.

Os bravenses têm uma reputação de empreendedorismo e trabalho árduo onde quer que vão. Muitos encontraram sucesso em indústrias como construção civil, comércio, serviços de saúde e educação, entre outros. Suas histórias de superação e conquista são inspiradoras e demonstram a resiliência e a determinação do povo de Brava. Esses emigrantes frequentemente enviam remessas para suas famílias na ilha, contribuindo para a economia local e o bem-estar de seus entes queridos.

Apesar do sucesso dos emigrantes bravenses, a ilha de Brava continua a enfrentar desafios significativos em termos de desenvolvimento econômico. A agricultura, que historicamente sustentou a ilha, enfrenta dificuldades devido à escassez de água e à falta de modernização. O turismo, embora promissor, ainda não alcançou seu pleno potencial devido à falta de infraestrutura e marketing eficaz. Além disso, a ilha carece de investimentos em sectores-chave como energia renovável, tecnologia e educação.

A dicotomia entre o sucesso dos emigrantes bravenses e a estagnação econômica em Brava pode ser atribuída a uma série de factores interligados. Em primeiro lugar, a emigração é muitas vezes motivada pela falta de oportunidades locais, empurrando os bravenses para buscar sucesso em outros lugares. Além disso, a ausência de políticas eficazes de desenvolvimento local e investimento tem perpetuado a estagnação econômica na ilha. Também é importante considerar a influência da mentalidade e cultura locais, que podem valorizar a estabilidade sobre a inovação e o risco.

No conjunto dos emigrantes bravenses espalhados nos quatro cantos do globo, é importante destacar a presença de talentosos intelectuais na comunidade emigrada. Brava tem produzido uma geração de acadêmicos, escritores, artistas e profissionais em diversas áreas do conhecimento. No entanto, muitos desses indivíduos enfrentam desafios significativos em encontrar oportunidades para contribuir para o desenvolvimento local.

A falta de espaços adequados para o cultivo do intelecto e a promoção da criatividade tem sido uma barreira para muitos desses talentos. A ausência de instituições educacionais de nível superior na ilha, bem como a escassez de investimentos em pesquisa e inovação, limitam as oportunidades para o florescimento intelectual e a aplicação do conhecimento para resolver os problemas locais.

Além disso, a falta de reconhecimento e apoio por parte das autoridades locais e da comunidade em geral pode desencorajar os intelectuais bravenses a permanecerem engajados em suas áreas de actuação e a contribuírem activamente para o desenvolvimento da ilha.

Para superar essa lacuna e aproveitar plenamente o potencial dos talentosos intelectuais bravenses, é essencial criar espaços e oportunidades para o intercâmbio de ideias, a pesquisa colaborativa e o desenvolvimento de iniciativas inovadoras. Isso pode envolver o estabelecimento de centros de pesquisa, a promoção de programas de educação continuada e a criação de incentivos para o empreendedorismo e a inovação local.

Ao investir no desenvolvimento intelectual e criativo de sua população, Brava pode não apenas fortalecer sua base de conhecimento e talento, mas também criar as condições para um desenvolvimento econômico e social mais sustentável e inclusivo. Valorizar e apoiar os intelectuais bravenses é fundamental para construir um futuro próspero e vibrante para a ilha e suas comunidades.

Além das questões relacionadas à falta de espaços para contribuição intelectual e criativa, é fundamental abordar a importância da união e liderança dentro da comunidade de Brava. Sem uma coesão efectiva e lideranças capazes de direcionar os esforços coletivos, todo o potencial e energia dos emigrantes bravenses, bem como dos talentosos intelectuais locais, correm o risco de serem desperdiçados.

A falta de coesão e liderança pode resultar em fragmentação e falta de direcção nos esforços para o desenvolvimento da ilha. Isso pode levar a conflitos internos, desperdício de recursos e falta de progresso significativo em iniciativas importantes para o avanço de Brava.

É crucial que a comunidade de Brava trabalhe em conjunto, unindo forças e recursos para identificar e abordar os desafios enfrentados pela ilha. Isso requer a criação de parcerias sólidas entre os emigrantes bravenses e os residentes locais, bem como o estabelecimento de canais eficazes de comunicação e colaboração.

Além disso, são necessárias lideranças inspiradoras e capacitadas, tanto a nível local quanto regional, e na comunidade emigrada, que possam articular uma visão compartilhada para o futuro de Brava e mobilizar a comunidade em torno dela. Essas lideranças devem ser capazes de construir consenso, promover a participação activa e coordenar esforços para alcançar objetivos comuns.

Somente através de uma união forte e liderança eficaz, a energia e o potencial dos emigrantes bravenses e dos talentosos intelectuais locais podem ser canalizados de forma produtiva para impulsionar o desenvolvimento sustentável e o progresso em Brava.

Concluindo, a dicotomia entre o sucesso dos emigrantes bravenses e a estagnação econômica em Brava é uma realidade complexa que reflete os desafios enfrentados por muitas comunidades em todo o mundo. Enquanto os bravenses continuam a prosperar em terras estrangeiras, é crucial que os líderes locais e as partes interessadas trabalhem juntos para aproveitar esse potencial e promover um desenvolvimento sustentável na ilha. Isso exigirá investimentos estratégicos, políticas eficazes e uma mudança de mentalidade em relação ao progresso e à inovação. Somente através de esforços coordenados e colaborativos, Brava poderá aproveitar plenamente seu talento empreendedor e criar um futuro próspero para as gerações vindouras.

Moises Santiago

Pawtucket, 8 de Fevereiro de 2024

Qual é a sua reação?

like

dislike

love

funny

angry

sad

wow