Professor Cabo-verdiano, João Resende-Santos, ganha bolsa Fulbright para pesquisar política externa dos EUA na descolonização portuguesa em Africa

O professor universitário João Resende-Santos, natural de Cabo Verde, ganhou uma bolsa Fulbright para pesquisar a resposta dos EUA à descolonização portuguesa na África. Ele vai analisar arquivos em Lisboa para entender melhor a política externa americana durante a Guerra Fria. A bolsa Fulbright é um programa de intercâmbio acadêmico de prestígio.

Jun 4, 2024 - 10:12
 0  49
Professor Cabo-verdiano, João Resende-Santos, ganha bolsa Fulbright para pesquisar política externa dos EUA na descolonização portuguesa em Africa
Professor universitário João Resende-Santos

O professor João Resende-Santos, natural de Cabo Verde e docente associado de Relações Internacionais na Bentley University, nos Estados Unidos, acaba de ser contemplado com a prestigiosa bolsa Fulbright U.S. Scholar para o ano letivo de 2024-2025.

Financiada pelo Departamento de Estado Americano, a bolsa Fulbright é um programa altamente competitivo voltado para o intercâmbio acadêmico e cultural. Durante o período da bolsa, o professor Resende-Santos vai se dedicar a pesquisas em Lisboa, Portugal, no Centro de Investigação LusoGlobale da Universidade Lusófona. Seu foco será analisar arquivos recém-desclassificados para embasar seu próximo livro sobre a política externa dos EUA em relação à descolonização da África por Portugal entre 1950 e 1975.

Para o professor Resende-Santos, a bolsa Fulbright representa uma oportunidade ímpar. "É uma honra integrar a rede global de bolsistas Fulbright, um dos programas mais antigos dos Estados Unidos voltado para o intercâmbio cultural e educacional", afirma. Ele credita o sucesso na candidatura ao apoio da professora Juliet Gainsborough, chefe do departamento de Estudos Globais da Bentley University.

Além do mérito acadêmico, a bolsa Fulbright tem um significado especial para o professor Resende-Santos devido à sua área de estudo. "O programa Fulbright surgiu para promover a paz entre os países. Participar dele me permite contribuir para uma dimensão pouco explorada, mas importante, da política externa americana: o 'soft power' e sua influência global", explica.

A pesquisa do professor Resende-Santos se debruçará sobre a reação dos EUA aos movimentos de libertação das colônias portuguesas na África, que hoje são os países independentes de Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe. "Meu projeto analisa um capítulo negligenciado, porém crucial, da política externa americana durante a Guerra Fria", ressalta. Ele destaca que a descolonização "desencadeou uma das guerras por procuração mais longas da história" entre os EUA e a União Soviética.

O professor acredita que a bolsa Fulbright será fundamental para acessar documentos recém-desclassificados que refletem a perspectiva portuguesa sobre a descolonização. "Ao analisar a política externa americana de uma perspectiva externa, obtemos uma compreensão mais completa de sua formulação, impacto e resultados", afirma.

Além de sua carreira acadêmica, o professor Resende-Santos possui ampla experiência como consultor internacional em desenvolvimento econômico, políticas de comércio e empreendedorismo. Ele já colaborou com a Organização das Nações Unidas, o Banco Africano de Desenvolvimento e a Organização Mundial do Comércio, entre outras organizações.

Reconhecendo o papel da diáspora africana no desenvolvimento do continente, o professor Resende-Santos segue ativamente envolvido em atividades educacionais e políticas em Cabo Verde, seu país natal.

Qual é a sua reação?

like

dislike

love

funny

angry

sad

wow