Brava: Clube Benfica focado na sua escola como forma de combater males sociais

  • 31/08/2019 09:26

O clube Benfica de Nossa Senhora do Monte está focado na sua escola de iniciação de futebol, organizando actividades que ajudam os seus 80 alunos a desviarem dos males sociais que estão a atacar a camada jovem.

Segundo o dirigente do clube António da Lomba, neste momento estão a trabalhar com 80 alunos, com idade compreendida entre os 6 e 17 anos de ambos os sexos, embora ainda a maior taxa que têm recebido é do sexo masculino.

O objectivo é abranger todas as localidades, mas devido a dificuldade a nível de transporte, estão a trabalhar com alunos das zonas mais próximas, pretendendo alcançar Cachaço e os outros povoados mais distantes.

Neste período de férias, andam a realizar algumas actividades desportivas, mesmo com alguns entraves pois, segundo o dirigente, o polivalente de Nossa Senhora do Monte encontra-se em obras, daí que a única solução tem sido trazer os alunos à Vila de Nova Sintra.

Entretanto, estas actividades não estão sendo realizadas com a frequência com que a direcção técnica deseja, uma vez que “transportar 80 alunos não é fácil para um clube que não dispõe de recursos financeiros”.

Conforme explicou António da Lomba, para a realização de algumas actividades têm recorrido ao apoio da câmara municipal na questão do transporte, mas sempre fica faltando algo, porque trazer os alunos das suas localidades para a Vila de Nova Sintra, implica também a distribuição de algum lanche.

“É uma luta para seguir com a escola de futebol, mas é algo que já vimos que é necessário”, disse o dirigente, explicando que a ideia é fazer com que os alunos não frequentem a escola somente para jogarem ou treinarem futebol, mas que seja um espaço com outras ocupações, como explicações, aulas de Inglês, aulas de pintura, como forma de socializar os alunos, mantê-los ocupados com actividades úteis e “livrá-los de enveredar pelos caminhos da droga, alcoolismo e outros males sociais”.

“Sabemos que na nossa sociedade, principalmente os rapazes, estão com muito tempo livre e acabam por entrar em certos vícios, como a droga e o alcoolismo muito cedo, por isso, o nosso trabalho é tentar mudar esta mentalidade”, ajuntou António da Lomba.

Para os próximos dias, estão organizando para ver a possibilidade de serem ministradas palestras principalmente na questão do consumo de álcool e drogas, mas também, pretendem trabalhar no ano lectivo que se avizinha em parceria com o Ministério da Educação, apoiando os alunos a terem um melhor desempenho na escola.

MC/CP

Inforpress/Fim