Brava: Muçulmanos residentes na ilha deram início ao jejum do Ramadão

  • 11/05/2019 07:30

A comunidade muçulmana, na ilha da Brava, já iniciou o mês sagrado de jejum e oração do Ramadão, onde durante 29 ou 30 dias, os crentes vão abster-se de comer, beber, fumar e fazer sexo do nascer ao pôr-do-sol.

Em declarações à Inforpress, Ousmane Diouf, um muçulmano residente na ilha, informou que são 10 ou 11 que estão aptos para este ritual na Brava, e que iniciaram na passada segunda-feira, e vai até 3 ou 4 de Maio, dependendo do calendário lunar muçulmano, que é diferente do cristão.

Para este muçulmano, o Ramadão é o mês de jejum e é celebrado no nono mês do ano muçulmano, e durante estes dias não vão comer, beber, fumar, fazer sexo e nem proferir palavras “obscenas”, somente depois do pôr-do-sol.

Segundo Ousmane Diouf, durante este mês, fazem um sacrifício espiritual e enquanto estão com fome e com sede, querem demonstrar não só a comunidade muçulmana, mas a toda a sociedade, que devem ser “solidários com os outros”.

“Quando sentimos fome, pensamos na família, ou vizinhos que não possuem nada ou pouca coisa para comer. Assim, convida-nos a ser mais de solidariedade e apoiar uns aos outros, ajudar os pobres e fazendo caridade”, explicou o muçulmano.

Além disso, de acordo com a mesma fonte, é o mês do perdão e de apelo à paz, e neste mês, de acordo com as suas crenças, acreditam que Deus aceita mais as orações que fazem, purificando a mente e o espírito.

Para o mês de jejum, existem algumas excepções, neste caso crianças até os 6 anos, mulheres grávidas e amamentando, idosos e doentes, sendo que, a partir dos 7 anos, começam a ensinar as crianças a praticarem o jejum, um dia sim outro não e quando entram na fase da puberdade, já cumprem o Ramadão como as regras ditam.

Também, aqueles que por algum motivo que por vezes pode ser devido ao trabalho, como exemplificou Ousmane Diouf, o caso dos jogadores, militares, não conseguem cumprir estes dias de jejum, podem adiar este ritual, para quando estiver de férias ou concluir a sua missão.

Logo aos 28 dias de jejum cumprido, começam a ver se a lua aparecer de novo, no outro dia fazem a festa do final do jejum, onde convidam amigos e vizinhos e aproveitam este dia também para pedir o perdão e para ficar mais perto uns dos outros.

A religião muçulmana, ou o islamismo, é constituído por cinco pilares: o primeiro é atestar que Deus é único e que têm de adorá-lo, o segundo é fazer cinco orações diárias, e o terceiro pilar é a esmola seja com dinheiro ou géneros alimentícios. O quarto pilar é o Ramadão e o quinto e último é a peregrinação a Meca na Arábia Saudita.

MC/CP

Inforpress/fim