Covid-19/Brava: Parceiros reúnem-se para traçar directrizes para abertura das ligações inter-ilhas

  • 15/07/2020 06:19

A Delegacia de Saúde da Brava organizou hoje um encontro com os parceiros locais para discutir e traçar novas directrizes para a abertura das ligações inter-ilhas e evitar a entrada do covid-19 na ilha.

Em declarações à Inforpress o delegado de Saúde da Brava, Júlio Barros, explicou que o encontro teve como objectivo a criação de equipas de trabalho para a passagem de informação, sensibilização e prevenção do covid-19, tendo em conta a abertura das viagens inter-ilhas.

Além disso, avançou Júlio Barros, foram discutidas as normas e condições do trabalho a serem executadas pelas equipas da Delegacia de Saúde e das outras entidades logo à chegada dos passageiros, no cais, e os outros procedimentos que devem ser levados em contas no seguimento, entre outros aspectos.

Em termos de directrizes, informou que vão definir um plano de actividades na próxima quinta-feira, que engloba os trabalhos desde o porto, bares, restaurantes, minimercados, condutores e outras entidades e seguir para prevenir e alcançar os objectivos traçados.

Para atingir estes objectivo é necessário também preparar-se, tendo em conta que a ilha possui um grande número de idosos, diabéticos, entre outras pessoas dos grupos de risco, com que deve ser feito um trabalho de sensibilização a fundo.

Por seu turno, o presidente da câmara municipal da Brava, Francisco Tavares sublinhou que o encontro foi realizado para a sensibilização e conhecimento de todos os actores em relação às últimas resoluções aprovadas.

Destas resoluções destacou a que concerne à directiva para o acompanhamento e fiscalização do processo de implementação das condições gerais sanitárias aplicáveis pelas instituições, serviços e entidades, empresas, comércio geral e pela população, principalmente, a partir desta quarta-feira em que haverá maior facilidade e facilitação de circulação de pessoas inter-ilhas.

Daí que seja necessário que todas as entidades da ilha estejam em sintonia para levar ao público, em geral, de acordo com as suas especificidades, todas às informações de como as coisas irão funcionar e do redobrar da atenção que devem ter em relação à lotação dos espaços públicos, horário do funcionamento, transporte público de passageiros, observância do uso generalizado das máscaras e à aglomeração de pessoas.

“A ilha e o País não podem ficar fechados, mas com a abertura todos nós devemos cumprir ao máximo as directrizes para contribuirmos, ao máximo, com a prevenção da propagação do vírus caso chegue a ilha”, finalizou o autarca.

MC/HF

Inforpress/Fim