Brava: Agricultores capacitados em matéria de aplicação de pesticidas e conhecimento de pragas

  • 05/07/2019 04:33

Quinze agricultores da Brava terminaram hoje uma formação na área de pesticidas e no conhecimento de pragas, promovida pelo Ministério da Agricultura e Ambiente, em parceria com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

Manuel Veiga Barbosa, técnico da delegação do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) da Brava, formador, explicou à Inforpress que a formação teve a duração de quatro dias e teve como objectivo preparar os agricultores para a campanha fitossanitária contra as pragas.

Pois, conforme salientou, alguns agricultores não possuem conhecimento do tratamento fitossanitário, na identificação de pragas e doenças e tem surgido algumas pragas, como lagarta de cartuxo, que tem prejudicado muito as plantações, além de outras como as tartarugas verdes, os gafanhotos de pragas que atacam as plantações logo no início da geminação.

Adalberto da Graça, é um agricultor com mais de 50 anos de serviço e experiência nas plantações de sequeiro, participou na formação e considerou a mesma como sendo de “extrema importância”, tendo em conta que aprenderam muitas coisas, inclusive os remédios caseiros feitos com ervas, para combater pragas, pois normalmente, quando surgiam praga, somente recorriam a delegação do MAA e este aprendizado, vai minimizar esta procura.

Segundo o mesmo, nos últimos tempos, a seca tem assolado a ilha e o que leva ao surgimento de mais pragas, principalmente a lagarta de cartuxo, embora, conforme realçou, sempre conviveram com pragas.

Um outro agricultor formando, é o Henrique Gonçalves, que também reconheceu a importância da formação, acrescentando que tem frequentado formações ministradas pelo ministério desde 2001 e sempre que participa aprende coisas novas.

Esta em particular, para o formando, teve uma importância maior, pois, ultimamente os agricultores têm tido grandes problemas com pragas e pesticidas e nesta formação, aprenderam a fazer pesticidas e adubos, além da identificação e monitoramento de pragas.

É agricultor de regadio e de sequeiro há 19 anos e neste momento, realçou que as plantações estão sendo atacadas por mangras brancas e pretas, fungas, lagartas, entre outros, e mesmo tendo já uma noção das pragas, o grande problema era pesticida, e agora vai fazer os seus próprios pesticidas.