Brava: Tribunal condena dois indivíduos a penas de prisão por crime de abuso e agressão sexual contra

  • 05/11/2022 16:37

O Tribunal da Comarca da Brava condenou hoje dois indivíduos a penas de 10 e 12 anos de prisão efectiva por crimes de abuso, agressão e exibicionismo sexual contra crianças de 1, 4 e 9 anos.

O primeiro caso remonta ao final de Maio passado, em que o suspeito de 72 anos, acusado de agressão sexual com penetração a uma criança de 4 anos, ficou em prisão preventiva a aguardar o julgamento.

O tribunal condenou esta sexta-feira o septuagenário a 10 anos de prisão efectiva e uma multa de 300 mil escudos de indemnização à vítima, segundo a leitura da sentença.

O outro caso remonta ao início do mês de Junho último, em que o Tribunal da Brava aplicou, como medida de coacção, prisão preventiva a um indivíduo do sexo masculino, de 52 anos, residente na Furna, suspeito da prática de crime de abuso sexual de criança e de exibicionismo, cujas vítima têm 9 anos e uma criança de 1 ano e alguns meses.

Este indivíduo foi condenado a 8 anos de prisão pelo crime de agressão sexual, 7 anos pelo crime de abuso sexual, 2 pelo crime de exibicionismo, que feito o cúmulo jurídico ficou com 12 anos de prisão efectiva e 500 contos de multas, sendo 250 para cada vítima.

No passado dia 24, o mesmo tribunal condenou um indivíduo do sexo masculino, de 69 anos de idade, a sete anos de prisão, pela prática de um crime de agressão sexual contra uma criança de 14 anos.

Ainda, no quadro de crimes de abuso e agressão sexual de menores, no passado dia 21 de Outubro, o mesmo Tribunal aplicou prisão preventiva a um indivíduo do sexo masculino, residente em Mato, suspeito da prática de crime de abuso sexual de criança.

Segundo informações de fonte judicial, o indivíduo encontra-se na casa dos 40 anos e a vítima 4 anos.

A vítima é a mesma que sofreu abusos no passado mês de Maio do indivíduo de 72 anos e o actual suspeito, conforme fonte judicial, é padrasto da mesma, reforçando que este já foi condenado pelo menos duas vezes por crime de agressão sexual de menores.


Inforpress/Fim