Brava: Comissão de Gestão da OMCV está a trabalhar para a reactivação do centro da organização

  • 30/03/2019 05:09

A Comissão de Gestão da Organização das Mulheres de Cabo Verde (OMCV) na Brava, constituída por cinco mulheres, anunciou que está a trabalhar para a reactivação do centro daquela organização.

Este anúncio foi feito à Infopress, por uma das integrantes da comissão Edite Silva, que na época em que a OMCV estava funcional na ilha, ela foi a presidente da organização durante 12 anos.

A integrante explicou que a OMCV passou por alguns momentos difíceis e a direcção tomou a decisão de fechar o centro, para reabrir num período de três meses, mas, “passados nove anos, ainda o centro não foi reaberto”.

Com o tempo inactivo, Edite Silva adiantou que o centro estava sendo utilizado para outras actividades “ilícitas” por parte da sociedade civil, tendo sido alertada por terceiros, e ao visitarem o local, ficaram tristes e decidiram tomar o espaço e atribui-lo novas utilidades.

Entretanto, referiu que “tomaram um espaço com paredes, janelas e portas velhas e sem nada”.

Ante esta situação, decidiram começar pela reabilitação do centro e algumas pessoas interessadas começaram a ocupar o espaço mesmo nas situações precárias, como sendo uma jóia, para iniciarem com pequenas reparações, e a partir daí, iniciaram o processo de restauração, trocando portas e janelas, cada um por sua vez, tendo já quatro salas reparadas e alugadas com boas condições, estando em falta somente a sala maior, que mesmo assim está funcionando para aulas de condução.

A parte exterior também ganhou uma nova visão, e aos poucos a comissão está atingindo os seus objectivos.

Após a fase de reabilitação vão funcionar como uma organização, mas até que isto não se torne realidade, durante estes dois anos da comissão, nas datas especiais, a OMCV sempre realizou actividades em parceria com outras instituições da ilha.

Edite Silva salientou que é necessário reactivar o trabalho da organização, porque a participação das mulheres nas actividades, nas associações, reuniões, é fruto do trabalho que foi feito pela OMCV no passado, porque, segundo a mesma, na altura em que iniciaram, as mulheres quase que não participavam em nada e aos poucos conseguiram trazê-las para a organização e fazer com que estas tornassem mais participativas.

Esta quarta-feira realizou-se uma caminhada, onde a OMCV conseguiu reunir dezenas de mulheres, com o objectivo de comemorar o Dia da Mulher Cabo-verdiana, tendo em vista quebrar a rotina da mulher que, muitas vezes, gosta de ficar em casa e além dos benefícios que a caminhada traz para a saúde, Edite Silva referiu-se à importância da convivência e dos laços de afectividade que foram estabelecidos nesta actividade.

MC/ZS

Inforpress/Fim