Brava: Comunidade de Lomba vai receber “investimentos estruturantes” – responsável

  • 14/08/2019 04:08

O delegado Ministério da Agricultura e Ambiente na ilha Brava, Estêvão Fonseca, anunciou hoje alguns projectos que vão beneficiar a comunidade de Lomba, Ferreiros e Palhal, divididos em fases e áreas de intervenção.

Orçado em mais de 20 milhões de escudos, o mesmo vai abarcar as áreas da pesca e da agricultura permitindo assim, segundo a mesma fonte, “uma melhoria”nas condições de vida das famílias.

Nos próximos diaw, anunciou, será consignada a obra de um parque foto voltaico, ligado a rede pública, com cerca de 20 quilowatts de potência, para fornecer energia a uma estação elevatória na localidade de Boi Preto, em Ferreiro.

Serão igualmente consignadas as obras da unidade de produção de gelo e conserva de pescado da comunidade, assim como energia para o sistema de bombagem de água.

Este projecto será dividido em duas componentes e é financiado pelo Fundo Internacional do Desenvolvimento Agrícola e com participação do Fundo Espanhol, através do Programa Oportunidades, na ordem de 12,3 milhões de escudos, cujo contrato já foi assinado, e com duração prevista de três/quatro meses.

“A obra vai trazer alguma autonomia energética na questão da bombagem da água, beneficiando um bom número de famílias, vai permitir que na localidade de Palhal, as pessoas façam alguma agricultura complementar, tendo em conta que vai haver um aumento das horas de bombagem e uma diminuição do custo da água”, informou o responsável.

Na componente da pesca, realçou que já há investimentos feitos, elencando a reabilitação e iluminação do espaço em Tantum, investimentos no teleférico de transporte de cargas, criação da cooperativa de pesca, formações na área de transformação e conserva do pescado, investimentos que, segundo Estêvão Fonseca, serão complementados com os outros projectos em carteira, permitindo que as famílias possam tirar “o máximo proveito” da pesca e haja “melhores rendimentos”.

Adiantou ainda que o ministério tem em carteira uma outra parte do projecto, direccionada a reabilitação da nascente de Ferreiros, que produz cerca de 220 metros cúbicos de água/dia, em que “uma boa parte perde-se pelas ribeiras”, devido a “algumas falhas” existentes na infra-estrutura.

Para esta intervenção, adiantou que o concurso será lançado nos próximos dias e incluirá limpeza geral na nascente, recuperação das perdas de água, recuperação dos reservatórios e estudo de possibilidades, para que os agricultores tenham acesso a materiais do sistema de rega gota-a-gota, para uma” melhor gestão” da água.

Entretanto, avançou que já está a decorrer um trabalho de conservação de solos e de água em Ferreiros, baseado num contrato-programa tripartido entre o Ministério da Agricultura e Ambiente, o Programa de Oportunidades Sócio-Económicas Rurais (POSER) e a Associação Comunitária de Lomba, e que emprega cerca de 40 chefes de famílias.

Estêvão Fonseca considerou que estes são investimentos que vão “revolucionar” não só a componente agrícola, mas também a pesca, que são os dois “grandes pilares de sustento” da comunidade, com “enormes potencialidades”, mas que possui “muitas famílias” em situação de vulnerabilidade.

 

MC/AA

Inforpress/Fim