Brava: Coordenação do “Mais Álcool, Menos Vida” e população com visões “diferentes” em relação ao consumo na ilha

  • 09/05/2019 15:57

A coordenação do programa “Mais Álcool, Menos Vida” e a população bravense possuem visões “diferentes” em relação ao consumo do álcool na ilha, nomeadamente entre os dados apresentados e a realidade do dia-a-dia.

Esta informação foi avançada, quarta-feira, à imprensa apelo coordenador do Programa, Manuel Faustino, após um encontro realizado com os responsáveis e representantes da Câmara Municipal da Brava, Delegação de Saúde, Delegação da Educação e da Esquadra local da Polícia Nacional, assim como encontros com responsáveis/representantes de serviços desconcentrados do Estado, e conversas abertas com alunos e voluntários da Cruz Vermelha.

Segundo Manuel Faustino, os dados que foram apresentados, demonstram que a ilha possui problemas em relação ao uso do álcool, mas que não é a mais pior do país, pois, existem ilhas com mais problemas ainda.

Mas, para a população presente nos encontros e os responsáveis na ilha, pelo que têm presenciado no dia-a-dia, consideram a situação local como sendo “muito crítica”, o que os leva a pensar que a Brava é a mais pior de todas, no que toca ao consumo abusivo do álcool.

Daí, o coordenador salientou que não pode dizer que os seus dados é que estão certos e nem que é a população local quem está certa. Mas sim, que esta visão “diferente”, é muito interessante e será alvo de estudo e análise.

Segundo Manuel Faustino, o consumo abusivo do álcool é uma problemática de todas as ilhas do país e de parte da população na diáspora. Por isso, têm-se deslocado a todos os concelhos, ficando a ilha de São Nicolau, passando a mensagem de sensibilização e para discutir a situação real de cada lugar, cada concelho, assim como o que pode ser feito para ajudar ou prevenir este problema “gravíssimo”.

Assim como em todos os outros concelhos já visitados, criaram uma Comissão Local, para coordenar as actividades nesta matéria na ilha, constituída por algumas entidades, que ficaram para propor um conjunto de acções a serem desenvolvidas em torno da nova lei sobre o álcool que entra em vigor no mês de Outubro.

De acordo com o apresentador, o programa será elaborado pela comissão, será discutido e mais tarde, a equipa regressará para reforçar as actividades e criar condições para que a lei seja aplicada aqui na ilha assim que entrar em vigor.

Tendo em conta as proximidades das festas de romarias e do município, onde são realizados alguns festivais e normalmente é o local onde há um consumo exagerado do álcool, as entidades presentes demonstraram a sua preocupação e a equipa do programa ficou por apresentar algumas contribuições recebidas da ilha do Sal, aquando da realização de um festival sem a circulação do álcool e “com sucesso”, para ver se é possível adaptar esta estratégia aqui, de forma a evitar um consumo exagerado nesta época.

De realçar que a campanha de prevenção do uso abusivo do álcool “Menos álcool, mais vida” é uma iniciativa da Presidência da República e tem como principal objectivo “prevenir e reduzir o uso abusivo de bebidas alcoólicas, através de acções que proporcionem mudanças de comportamento com adopção de estilos de vida saudáveis.

MC/ZS

Inforpress/Fim