Brava: CRP reúne-se com líderes de associações comunitárias em intercâmbio de reflexão

  • 02/12/2018 06:16

Os líderes das Associações de Desenvolvimento Comunitário (ACD) reuniram-se hoje, na localidade de Cachaço, na Brava, para fazerem uma retrospectiva, presente e futuro das mesmas.

Este encontro foi organizado pela Comissão Regional de Parceiros – Brava Solidária (CRP), com o intuito de levar aos presentes a “pararem e reflectir a CRP e as associações”.

Pois, segundo a Gestora da Unidade Técnica da CRP na ilha Brava, Margarida Fernandes, o Programa Oportunidades está chegando ao fim e está procurando uma forma de deixar as associações com algum “ânimo”.

E é neste sentido, que pediu as associações para se organizarem e realizarem alguma dinâmica nas comunidades, objectivo este que pretende realizar até Março de 2019.

Como uma forma de chamar-lhes a razão, a gestora fez um historial da implementação das ACD, apresentando dados desde Março de 2001 até esta data e o papel que tiveram no desenvolvimento de micro-projectos, devido a “organização” que possuíam.

Com esta retrospectiva, a oradora quis mostrar-lhes que a associação bem organizada é a “força” da comunidade.

Não obstante a estes factos, Margarida Fernandes lembrou aos presentes, que de um certo tempo para cá, é preferível os financiadores financiarem projectos nas comunidades através de associações.

Ainda, fez os presentes reflectirem o porque de os micro-projectos financiados estão diminuindo ano após ano.

“A Brava teve vários ganhos, através das associações. E podemos dizer que talvez se não houvesse associações, a ilha poderia ficar de fora. E uma associação é um elo imprescindível para o desenvolvimento da comunidade, consequentemente da ilha e do país”, reforçou a fonte.

A ilha neste momento tem 14 associações e três organizações não governamentais (ONG). Entretanto, destas 14 associações algumas estão “meio desestruturadas e desmotivadas”.

Domingos Lopes “Zeza”, vice-presidente da associação de Cova Rodela e participante deste encontro além de louvar a iniciativa, que conseguiu reunir quase todos os líderes das associações comunitários da ilha, pediu que mais encontros do tipo sejam realizados.

Segundo este participante, além de ouvir a opinião dos outros membros, tiveram a oportunidade de discutir as ideias, apontando os aspectos bons e maus, assim como, apresentar possíveis soluções e formas de melhoria.

MC

Inforpress/fim