Brava: Dez jovens formados em auto-emprego e criação de pequenos negócios na ilha

  • 03/08/2018 09:19

Dez jovens da “Ilha das Flores”, Brava, terminaram a sua formação em auto-emprego e criação de pequenos negócios, no âmbito do Projecto Iniciativas Locais, Regionais e Emprego na ilha.

A formação foi ministrada numa parceria entre a Câmara Municipal da Brava, o IEFP e a PROEMPRESA, em que o número estipulado de inscritos seria de 20 jovens, mas esta decorreu somente com dez participantes, “por falta de interesse dos jovens locais”, conforme Mário Soares, vereador da Educação, Juventude e Desporto.

A mesma fonte explicou à Inforpress que este projecto “trata-se de um incentivo, formando jovens e atribuindo financiamento em espécie de kits, para apoiar os jovens a dinamizarem as suas ideias e a conseguir a sua autonomia e sustentabilidade no mercado”.

Durante a formação, os jovens tiveram a oportunidade de elaborar alguns projectos, dos quais nove vão ser beneficiados com kits, o que lhes permite criar o seu próprio negócio, de acordo com a área de actuação de cada um.

“Estas nove unidades de negócio estão orçamentadas num valor que ronda os 1.200.000 escudos e será disponibilizado pelo IEFP e a Câmara Municipal da Brava”, disse Mário Soares.

Segundo o vereador, a ideia inicial era disponibilizar somente sete kits. “Após a apresentação dos projectos, tendo em conta a pertinência e o papel de cada um na ilha, resolvemos apoiar mais dois deles”, justificou.

“Além da formação que já terminou, temos inscrições abertas já há cerca de um mês para outras cinco formações, onde cada participante paga um valor simbólico de 4.000 escudos mensal em cada formação e o número de inscritos deixa muito a desejar”, lamentou o responsável da área da Educação, Juventude e Desporto.

Mário Soares adiantou ainda que “estas formações têm como objectivo oferecer aos jovens oportunidades de desenvolverem os seus próprios negócios, terem melhor capacitação e qualificação, formados de acordo com a realidade, como forma de criar dinamismo na ilha e diminuir a taxa de desemprego jovem”.

Mesmo com a “fraca adesão” por parte dos jovens, o vereador reforçou que a autarquia vai continuar com a sua política, que é “apostar na formação jovem, com vista a dar um novo ‘up’ à ilha”.

Para os formados, esta foi uma “grande iniciativa” da câmara municipal, inclusive demonstraram interesse em participar em outras acções de formação, apelando também aos jovens da ilha para terem mais interesse em participar nas formações oferecidas.

“Através de pequenas acções de formação, conseguimos adquirir mais e melhores conhecimentos, o que nos permite sair do conformismo e procurar os nossos próprios meios de sustento e de auto-emprego”, atestou um dos participantes.

 

Inforpress/