Brava: EBNSM entrega projecto para a 2ª edição do concurso Selo de Qualidade em Educação

  • 12/02/2019 15:05

A Escola Básica de Nossa Senhora do Monte já fez a entrega do projecto para a 2ª edição do concurso Selo de Qualidade em Educação, na categoria Amiga do Ambiente e Promotora das Artes.

Em declarações à Inforpress, o director da EBNSM, Austelino Tavares, explicou que este concurso é uma iniciativa do Ministério da Educação, através da Direcção Nacional da Educação, que teve início no ano lectivo anterior e que as escolas apresentam projectos dentro das categorias propostas pela organização.

De acordo com o regulamento do processo, existem quatro categorias, nomeadamente a “Instituição educativa inclusiva e cidadã”; “Instituição educativa ler mais”;”Instituição educativa promotora do desporto e da saúde” e a quarta categoria que é “A amiga do ambiente e promotora das artes”.

Entre estas categorias, o dirigente adiantou que foi realizado um encontro com o pessoal da escola para a recolha de subsídios, acabando por escolher a quarta categoria e daí, fizeram o esboço do projecto e as actividades que a direcção da escola pretende realizar dentro do concurso.

Mesmo com às limitações que a ilha impõe, nomeadamente em termos de parceria, o director acredita que é possível fazer algo nesta área, e que pode chamar a atenção da comunidade bravense, sobretudo a nível da “preservação do ambiente e da promoção da arte”, pois, de acordo com o mesmo, “o ambiente e a arte sempre possuem uma boa relação”.

Dentro do projecto, está programado um leque de actividades, desde palestras, trabalhos de reciclagem, exposições, feira do ambiente, entre outras.
Neste momento, visto que a escola não possui os seus próprios recursos, a equipa organizadora do projecto está à procura de parcerias, mediante as possibilidades de cada instituição.

Até porque, o director deixou claro que parceria não tem de ser somente a nível monetário, mas também em materiais que necessitarão na realização das actividades programadas.

Neste quesito, Austelino Tavares pede às instituições que “se identifiquem com este projecto e abracem-no como sendo da Brava e não da escola”, pois, ajuntou, o objectivo fundamental é a “mudança da mentalidade, promovendo boas práticas através da arte”.

E se este objectivos forem alcançados, o responsável acredita que não seria só a somente a escola que saia beneficiada, mas sim a ilha toda.

No ano passado, a escola concorreu, mas não conseguiu atingir o seu objectivo e este ano pretende “fazer mais, levar mais força e ter melhor prestação em relação ao ano anterior”.

MC/JMV

Inforpress/fim