Brava: Institucionalizada a Associação Regional de Atletismo

  • 24/01/2019 04:43

A ilha Brava já dispõe de uma Associação Regional de Atletismo, criada hoje e institucionalizada pelo vice-presidente da Federação Cabo-verdiana de Atletismo (FCA).

A anteceder a criação da associação e a sua tomada de posse, a FCA ministrou uma formação de quatro dias a monitores de atletismo na ilha, com o objectivo de capacitar os intervenientes, conforme explicou Adilson Barradas, vice-presidente da FCA.

Segundo o mesmo, o objectivo desta associação, centra na necessidade da Brava aproveitar da sua potencialidade a nível do atletismo, começando a apostar num atletismo de base, na formação junto das escolas primárias até o ensino secundário, como forma de explorar da melhor forma a capacidade dos bravenses nesta área.

João Paulo Silva, presidente da associação demonstrou a sua satisfação em dirigir o grupo, assumindo o compromisso de levar o atletismo bravense cada vez mais longe, tendo em conta o seu “dinamismo e desejo de fazer acontecer”.

Este dirigente aproveitou para apresentar algumas propostas de actividades a serem realizadas neste ano, começando pela participação no campeonato nacional de atletismo juvenil, a realização de campeonatos regionais juvenil e sénior de atletismo, assim como a participação dos atletas juniores e seniores nas provas de atletismo das festas dos municípios da Brava, dos Mosteiros e São Filipe e pretendem também realizar actividades de Verão no escalão juvenil.

A nível institucional, a associação tem em vista a assinatura de protocolos com empresas privadas locais e com equipas federadas de futebol, como também, reforçar e estreitar relações com o Ministério da Educação, criar sinergias com os recém-formados para mais tarde ministrarem mais acções de formação para outros interessados.

Domingos Lopes, formando e membro da associação de atletismo, considerou que a ilha já deu um passo importante, o que faz com que a Brava tenha a participação a nível nacional e uma oportunidade para os atletas que não têm vocação para o futebol.

Por sua vez, o vereador da área do Desporto, Mário Soares, pediu o engajamento de toda a comunidade para que, de facto, a ilha tenha um desporto com maior qualidade e maior envolvimento para representar a Brava, enquanto região e principalmente a nível nacional.

Chamou atenção aos presentes, no sentido de encarar o desporto, neste caso o atletismo, como um meio de “resgate” de pessoas que muitas vezes estão envolvidos em alguns males sociais, como o consumo do álcool ou substâncias psicoativas.

A câmara municipal, conforme garantiu Mário Soares, vai entrar como parceiro nesta luta e pede aos jovens recém-formados que coloquem em prática aquilo que aprenderam, visto que, “de nada vale a pena, receber uma formação sem a dinamização”.