BRUNO MIRANDA: JOVEM ENCONTROU NA ESTÉTICA UMA FORMA DE VENCER O DESEMPREGO

  • 05/12/2018 07:53

É um dos poucos homens que trabalha na área de Beleza e Estética na cidade da Praia. E apesar de a opção pelos cuidados de beleza não ter sido a sua primeira escolha, hoje Bruno Miranda diz que gostaria de fazer uma formação e, quiçá, um dia ter o seu próprio negócio.

À semelhança de outros jovens da sua ilha natal, Brava, Bruno Miranda teve de se deslocar à capital para prosseguir os estudos depois de terminar o liceu. Tinha na altura 19 anos.

Depois de terminar uma formação em Secretariado Executivo, o jovem fez-se à vida e começou a procurar emprego, até porque precisava de ajudar os pais nas despesas e sempre trabalhou desde os seus 16 anos.

Contudo, encontrar uma alternativa na capital não se revelou ser uma tarefa fácil.

Depois de colocar um anúncio a dizer que estava à procura de empresa, surgiu uma oportunidade para trabalhar na área da Estética num salão de beleza na Achada S. António. “Expliquei logo que não sabia fazer nada nessa área, mas que iria esforçar-me”, recorda.

Para ganhar prática, começou a treinar a fazer as suas próprias unhas, até que ganhou jeito. Rapidamente, sentiu a necessidade de aprender a fazer outras tarefas no salão como massagem, limpeza facial, depilação, etc.

Apesar de saber fazer de tudo um pouco é mais solicitado para trabalhos com unhas de gel e maquilhagem, mas ainda recorda a primeira vez que fez as unhas a um cliente que não gostou. “Tremia muito e disse logo ao cliente que não sabia ainda fazer aquilo”. A pessoa foi compreensiva e entendeu a falta de experiência de Bruno.

Aos poucos começaram a surgir convites para trabalhar noutros locais e já há alguns meses que está num espaço situado na entrada da Cidadela.

Hoje com 22 anos confessa que “nunca teve o sonho de ser esteticista”, mas atualmente não exclui a hipótese de ter o seu próprio negócio nesta área, nomeadamente na Brava, onde a área ainda não é tão concorrida como na Praia, pelo menos ao nível dos serviços prestados.

Apesar deste ramo contar com um maior número de mulheres, Bruno diz que nunca hesitou em aceitar a proposta e sempre foi apoiado pela família na sua decisão.

“Para mim, não existe essa de ‘trabalho para homem ou mulher’. Basta que seja um trabalho digno. Não tenho vergonha do trabalho que faço. Vergonha é roubar ou matar”, diz categoricamente.

Gosta especialmente da área de maquilhagem e, recentemente, trabalhou com a organização do concurso Miss Praia 2018.

Qual é o segredo para ser um bom esteticista? Passa pela discrição, diz Bruno. “Um esteticista deve saber guardar os segredos dos clientes. Há uma relação de confiança que é fundamental manter com o cliente”.

Se nunca pensou em trabalhar em estética, já o mesmo não se aplica à moda. “Sempre quis ser modelo”, afirma o jovem que chegou a fazer alguns desfiles com o falecido estilista Tunga Né e até tem um book feito.

Para já, Bruno diz que vai continuar a trabalhar na área onde está há três anos a ganhar mais experiência.