Gestão participada e transparente pode salvar a unidade de produção de queijo de Cachaço - Francisco Walter Tavares

  • 05/01/2018 07:50

 

Cidade de Nova Sintra, 05 Jan (Bravanews) - Embora a unidade de produção de queijo nao estar na alçada da Câmara Municipal da Brava, mas enquanto um dos representantes com assento na CRP, o edil entende que uma gestão participada e transparente poderá resolver parte dos problemas da unidade de produção de queijo de Cachaço.

Instado a pronunciar acerca dos problemas por que passam a unidade de produção de queijo, Walter, vai dizendo de que a mesma e uma unidade empresarial autônoma, que durante anos vinham recebendo injeção de verbas de fundos públicos e isso não poderia continuar a acontecer.

“O poder político, gestor de fundos públicos, não pode estar a injectar infinitamente, verbas em algo mal gerido”, avançando de quem períodos de vacas gordas, esquece-se do “Estado”, para ser lembrar quando as mesmas emagrecem ou estão a beira da morte.

Na sua opinião, o desfuncionamento desta unidade deveu-se a “desorganização da associação local que concentrou todo o funcionamento ou nao nao numa unica pessoa”, e a referida pessoa há mais de dois anos que nao para na ilha Brava por razões de saúde, “e hoje reside na cidade da Praia.

Sobre as críticas de que problemas de funcionamento deve-se a mudança política, retorquiu de que “a fabrica ja nao funciona há muito tempo, antes da mudança política e deixou avultadas dívidas com água, electricidade e até com fornecedores de leite, segundo dizem”.

A unidade de produção de queijo de Cachaço, fechou as portas há alguns meses, por falta de leite, mas há quem avance de que se trata de problemas de organização.

Tentamos ouvir a CRP (Comissão Regional de Parceiros), entidade responsável da referida unidade, mas até o fecho da peça não tivemos sucesso, pelo que voltaremos a este assunto.

 

MS